Reconstituição tem hora para começar, mas não para acabar

Rua do Edifício London será fechada no final do dia; policial diz que processo deve acabar dez horas depois

Milton F da Rocha Filho e Camila Tuchlinski, Agência Estado

26 de abril de 2008 | 12h26

A rua do edifício London, na zona Norte da cidade, onde será feita a reconstituição do assassinato da menina Isabella Nardoni, 5 anos, vai ser fechada ao final do dia. No momento o trânsito é normal na região e a polícia já cadastrou todos os moradores próximos e do prédio para impedir a entrada de curiosos na região a partir do momento que iniciar o trabalho de reconstituição, que não contará com a presença do pai da menina Alexandre Nardoni e da sua mulher Anna Carolina Jatobá, que seguindo orientação dos advogados preferiram não comparecer.   Veja também: Em depoimento, casal Nardoni não explica vômito e sangue Só casal é convocado para reconstituição 'Há mais que indícios' contra o casal, diz promotor Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella     Com a região isolada, a reconstituição está prevista para começar às 9 horas e terminar dez horas depois, disse um policial envolvido no caso. O objetivo das autoridades, com base nos laudos periciais, é comprovar o indiciamento de Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, como principais envolvidos no caso. O casal alega a existência de uma terceira pessoa na cena do crime.   Na próxima semana, já com os resultados da reconstituição, a Polícia poderá solicitar nova prisão do casal, mas os advogados de defesa já estão preparados, para alegar que eles tem endereço e residência fixa, e que não pretendem fugir. Lembrarão outros casos em que criminosos declarados ainda não condenados em definitivo pela justiça, andam a solta por São Paulo.   Os advogados do casal Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá, ainda pensam em recorrer a corregedoria, sob a alegação de que a defesa foi prejudicada pois resultados dos laudos periciais não chegaram as suas mãos antes do depoimento dos clientes. E que muitas perguntas dos policiais foram feitas em cima destas questões registradas em laudos.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.