Recusa a pedido de mísseis ajuda Assad, diz líder da oposição síria

A recusa das potências internacionais em fornecer mísseis Patriot para defender áreas controladas pelos rebeldes do norte da Síria envia uma mensagem ao presidente Bashar al-Assad "para fazer o que quiser", disse o líder da oposição síria, Moaz Alkhatib, nesta quarta-feira.

Reuters

27 de março de 2013 | 07h26

Alkhatib também disse à Reuters em uma entrevista que ele não vai recuar da renúncia como líder da principal coalizão de oposição síria, mas que ainda vai exercer funções de liderança, por enquanto.

A Otan disse na quarta-feira que não tem qualquer intenção de intervir militarmente na Síria, após Alkhatib ter pedido aos Estados Unidos o uso de mísseis Patriot posicionados na Turquia para proteger áreas controladas pelos rebeldes do poder aéreo Assad.

"Ontem eu fiquei realmente surpreso com o comentário emitido a partir da Casa Branca de que não era possível aumentar o alcance dos mísseis Patriot para proteger o povo sírio", disse ele.

"Estou com medo que isso seja uma mensagem para o regime sírio dizendo: 'Faça o que quiser'."

Perguntado sobre sua renúncia, no domingo, como líder da coalizão rebelde --que ele disse ter sido motivada principalmente pela frustração com a relutância do Ocidente em aumentar o apoio à oposição-- ele disse: "Eu entreguei minha renúncia e não desisti. Mas tenho que continuar com meus deveres até que o comitê geral encontra (um substituto)."

(Reportagem de Yara Bayoumy)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAMISSEISRECUSAASSAD*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.