Redes de pesca matam entre 700 e 1,3 mil toninhas ao ano

Pesquisadores alertam para a morte de toninhas - um tipo de golfinho - que ficam presas acidentalmente em redes de pesca no litoral brasileiro.

Afra Balazina e Andrea Vialli, O Estadao de S.Paulo

15 Março 2010 | 00h00

De acordo com Eduardo Secchi, do Instituto de Oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), entre 700 e 1,3 mil toninhas morrem todos os anos no Rio Grande do Sul e no Uruguai por essa razão.

As redes de pesca chegam a ter entre 20 e 30 quilômetros. Mas, segundo Secchi, deveriam ter, no máximo, 7,5 km.

As toninhas geram somente um filhote a cada dois anos e costumam ficar próximas da costa. Por isso, acabam ameaçadas também pela poluição das águas.

Juntos, esses problemas têm feito o número de indivíduos da espécie declinar nos últimos anos. As toninhas estão classificadas como "vulneráveis" na lista vermelha de animais ameaçados de extinção da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN).

CONSERVAÇÃO

SeaWorld tenta salvar imagem após morte

O parque aquático SeaWorld, em Orlando (EUA), está preocupado com sua imagem após a morte da treinadora Dawn Brancheau, atacada por uma orca há quase 20 dias. Em um esforço de relações públicas, o parque agora tenta mostrar que também realiza resgates de animais que estão em condições precárias. "O SeaWorld acredita ser cada vez mais necessário oferecer à imprensa informações sobre os trabalhos na proteção da vida marinha (...). Temos diversas ações relacionadas ao resgate de animais que estão morrendo por causa da intoxicação em águas contaminadas e exploração predatória", diz um comunicado do parque distribuído à imprensa. Segundo a nota, só este ano foram resgatados 11 peixes-boi, que passaram por reabilitação no parque e depois foram devolvidos à natureza.

TENDÊNCIA

Galpões industriais

terão selo verde

O GR Jundiaí, condomínio de galpões industriais que está sendo construído no interior de São Paulo pela GR Properties, será o primeiro empreendimento do tipo a receber a certificação Leed, destinado a construções com menor impacto ambiental. O conjunto de galpões prevê uma economia de 20% no consumo de água e gestão dos resíduos da obra. No País existem 14 empreendimentos com o selo verde, a maior parte edifícios comerciais. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.