'Redes sociais não estão à margem da sociedade'

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE), Henrique Mariano, acredita que a condenação da estudante Mayara Petruso por crime de racismo contra o nordestino, por meio de postagem na rede social Twitter logo depois da eleição da presidente Dilma, em outubro de 2010, terá efeito pedagógico.

O Estado de S.Paulo

17 Maio 2012 | 07h45

"A decisão da juíza da 9ª Vara federal Criminal de São Paulo, Mônica Aparecida Camargo, deixa claro que as redes sociais não estão à margem da legalidade e reitera que a sociedade brasileira não pode tolerar este tipo de comportamento preconceituoso contra quem quer que seja", afirmou o presidente da OAB.

Foi a OAB-PE que ofereceu notícia-crime ao Ministério Público de São Paulo, requerendo denúncia pela prática do crime de racismo. / ÂNGELA LACERDA, RECIFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.