Refinaria Abreu Lima vai atrasar um ano

Governador de Pernambuco foi informado de que obra de R$ 23 bilhões ficou para 2012

Amundsen Limeira, O Estadao de S.Paulo

09 Dezembro 2009 | 00h00

O início das operações da Refinaria Abreu e Lima, projeto da Petrobrás com a estatal venezuelana de petróleo PDVSA, na região metropolitana do Recife (PE), previsto para 2011, vai atrasar um ano, segundo informou ontem o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, durante o Fórum Estadão Regiões/Nordeste, realizado pelo Estado com apoio da Agência Estado e da Rádio Eldorado.

Segundo ele, o adiamento da obra, que tem 60% de participação da Petrobrás, foi comunicado pelo presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli, na semana passada, durante a assinatura de contratos relativos à construção.

O governador minimizou as divergências com o Tribunal de Contas da União (TCU) relativas aos custos de terraplenagem, que teriam reduzido o ritmo das obras. "As obras de terraplenagem já estão quase concluídas, não houve interrupção", afirmou Campos.

A Refinaria Abreu e Lima deverá receber investimentos de R$ 23 bilhões. Quando estiver concluída, vai processar 230 mil barris de petróleo por dia.

EXPANSÃO

Segundo o governador, a construção civil cresceu 17% em Pernambuco no primeiro semestre deste ano e o Produto Interno Bruto (PIB), 5%. A projeção para 2009 é de 4%, com perspectiva de expansão maior no ano que vem. O Estado saiu de um desemprego em dezembro de 2006 de 15,8% para 9,8% em novembro de 2009, segundo o IBGE.

Os Fóruns Estadão Regiões prosseguem no ano que vem com debates sobre o Centro-Oeste, Sul e Sudeste. O evento de ontem contou com a participação do ministro Patrus Ananias, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, da presidente da Embratur, Jeanini Pires e do presidente da Federação das Indústrias da Bahia, Victor Ventin, entre outras autoridades. Os principais pontos serão publicados em um caderno que circula na edição de amanhã. Mais informações no site www.forunsestadao.com.br.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.