Rei da Jordânia diz que líder sírio deveria renunciar--BBC

O rei da Jordânia, Abdullah, disse que o presidente da Síria, Bashar al-Assad, deveria renunciar ao cargo pelo interesse de seu país, informou a emissora britânica BBC nesta segunda-feira.

REUTERS

14 de novembro de 2011 | 11h55

"Acredito que, se eu estivesse no lugar dele, eu renunciaria", afirmou o rei em entrevista ao serviço noticioso mundial da BBC.

"Eu renunciaria e me certificaria de que quem viesse depois de mim tivesse a habilidade de mudar o status quo que estamos buscando", declarou.

O rei jordaniano disse que o presidente sírio deveria dar início a uma nova era de diálogo político antes de renunciar, já que não há ninguém por trás dele em condições de mudar o status quo, informou a BBC.

"Mais uma vez, eu não acho que o sistema permita isso, portanto, se Bashar tem interesse pelo seu país, ele deveria renunciar, mas ele também deveria criar a capacidade de estender a mão e iniciar uma nova fase na vida política síria."

Numa surpreendente decisão, a Liga Árabe suspendeu no sábado a filiação da Síria e pediu ao Exército do país que pare de matar civis.

Os governos da União Europeia concordaram nesta segunda-feira em estender as sanções contra a Síria para incluir mais 18 autoridades relacionadas com a violenta repressão do governo Assad aos dissidentes.

Tudo o que sabemos sobre:
JORDANIAREISIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.