'Rei' põe jalapeño no bloody mary

Entrevistamos o escritor norte-americano Dave DeWitt, especialista em pimenta e comidas apimentadas

Olívia Fraga,

01 Julho 2010 | 09h51

Dica. DeWitt explica que, para cozinhar com pimenta, é preciso ter cautela e ir acrescentando devagar, provando de tempos em tempos. Foto: Felipe Rau/AE

 

 

 

Embaixador da pimenta picante, papa dos chiles, rei dos ardidos. O escritor norte-americano Dave DeWitt fez por merecer seus apelidos: escreveu 40 livros sobre pimenta e comidas apimentadas - só em 2009, lançou The Complete Chile Pepper Book e 1001 Hot and Spicy Recipes. Além disso, desde 1997, publica no site Fiery Foods (www.fiery-foods.com) textos e artigos sobre o tema - tem mais de 50 mil visitas diárias.

 

DeWitt era professor de literatura inglesa na Universidade da Virgínia antes de dedicar a vida à família Capsicum. Sua vida mudou quando foi desafiado por amigos a comer uma salada com molho de scotch bonnet - uma das pimentas mais picantes do mundo. Comeu e acabou se apaixonando pelas pimentas.

 

Veja também:

Pimenta para bravos

Furiosas e viciantes

Para 'jolokiano', pimenta ardida é refresco

É José Lima, mas poderia ser Zé da Pimenta

Para seu Santo, é 'escote bone'

Não, o molho Tabasco não nasce no vidrinho

 

Gosta tanto delas que começa o dia com uma taça de bloody mary com jalapeño, uma das que cultiva em sua casa no Novo México, Estados Unidos, de onde falou com o Paladar.

 

 

Pimentas viciam?

Não causam dependência física ou química. Mas o efeito, psicologicamente, é tão bom que logo se tornam um hábito prazeroso. Gostar de pimentas envolve genes, não é questão de gosto adquirido. Há quem não as suporte por intolerância genética.

 

Quais as loucuras comuns entre os chiliheads, os loucos por pimenta?

Comer pimenta fresca é, em si, uma maluquice. Nós levamos qualquer pimenta à boca apenas para testar seu poder de fogo. O curioso é que as pessoas começam a apreciar pimenta como outra coisa qualquer: adicionando um pouco de molho na comida. Nunca ouvi alguém dizer "eu usava muita pimenta, agora deixei esse hábito de lado, não quero mais".

 

É importante se preparar para comê-las?

Prove um pequeno pedaço da pimenta fresca, mastigando-a na porção mais frontal da boca, para testar o "calor" e a pungência. Quando cozinhar com pimenta, acrescente devagar e prove a cada adição. Não dá para voltar atrás.

 

Qual é sua pimenta favorita?

Gosto de todas. Minha preferida é a habanero.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.