Rei Ricardo III da Inglaterra retorna ao campo de batalha onde morreu há 530 anos

Um cortejo carregando os restos mortais do rei Ricardo III, da Inglaterra, começou uma viagem solene neste domingo em direção ao campo de batalha onde ele foi morto há 530 anos.

REUTERS

22 de março de 2015 | 11h44

Encontrados sob um estacionamento em 2012, os restos mortais de Ricardo serão enterrados na catedral de Leicester na quinta-feira em uma cerimônia comandada pelo arcebispo da Cantuária Justin Welby, líder espiritual da Igreja Anglicana, com a presença de membros da família real.

Ricardo, o último rei inglês a morrer em batalha, foi morto em Bosworth Field, em 1485, no final da sangrenta Guerras das Rosas.

Após sua morte, seu corpo foi levado para a igreja de Grey Friars na vizinha cidade de Leicester e enterrado em uma cova cavada apressadamente, que ficou pequena demais para abrigar seu corpo.

A localização de seu túmulo se tornou um mistério até ser encontrado em um estacionamento municipal em uma descoberta que surpreendeu os arqueólogos e cativou o mundo.

Neste domingo, o caixão de Ricardo saiu da Universidade de Leicester, acompanhado pela equipe que fez a descoberta, em um carro funerário em direção a Fenn Lane Farm, na aldeia de Dadlington, o local que seria o mais próximo de onde ele morreu.

O rei Ricardo morreu lutando para manter sua coroa contra as forças invasoras de Henrique Tudor, mais tarde rei Henrique VII. O escritor William Shakespeare fez uma famosa descrição de Ricardo III em batalha, gritando: "Um cavalo! Um cavalo! Meu reino por um cavalo!"

Philippa Langley, uma roteirista que participou da pesquisa sobre o rei Ricardo III, disse que era o fim de uma "viagem extraordinária".

"Revitalizou nosso interesse neste período da história", disse ela em uma entrevista.

Uma série de eventos para o cortejo está sendo planejada.

O público poderá ver o caixão nos próximos dias antes de os restos mortais serem enterrados na catedral na quinta-feira.

(Por Alex Fraser)

Tudo o que sabemos sobre:
INGLATERRAREIRESTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.