Rei saudita prepara nomeações após morte de herdeiro

A Arábia Saudita lamentava no domingo a morte do Príncipe Sultão, enquanto o Rei Abdullah preparava a nomeação de um novo herdeiro e a escolha de um novo ministro de Defesa, considerado cargo chave no país.

ANGUS MCDOWALL, REUTERS

23 Outubro 2011 | 13h36

Com boa parte do resto do Oriente Médio em turbulência, o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta, expressou confiança na habilidade de Riad promover uma transição eficiente na área de defesa depois da morte do príncipe.

O Príncipe Sultão, que era herdeiro do rei desde 2006 e ministro da Defesa e da Aviação desde 1962, morreu de câncer de colo em Nova York no sábado.

Enquanto a maioria das analistas espera que o veterano ministro do Interior, príncipe Nayef, seja nomeado príncipe herdeiro, há menos certeza em relação ao cargo da Defesa, um posto chave em um país que usa acordos de armamento de bilhões de dólares para estreitar relações com aliados.

Ao fazer as nomeações, o Rei Abdullah precisa manter um delicado equilíbrio de poder em uma família real que tem milhares de membros e domina o governo saudito, as forças armadas e os negócios.

"Equilíbrio é sempre uma preocupação de reis", afirmou Khaled al-Dakhil, um professor de Ciências Políticas em Riad.

As mudanças no governo podem levar o Rei a promover a primeira grande reforma do seu reino, um evento sobre o qual há especulação há tempos.

Contudo, analistas dizem que ele pode também preferir esperar, para evitar a impressão de que as mudanças estão sendo feitas sob pressão.

Mais conteúdo sobre:
ARSAUDITA PRINCIPE NOMEACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.