Reitor da USP pede revisão de título

O reitor da USP, João Grandino Rodas, recorreu da decisão da Congregação da Faculdade de Direito de declará-lo persona non grata. No recurso, enviado ontem à São Francisco, Rodas pede a anulação do título, argumentando que "não há previsão regimental ou estatutária para concessão de título negativo por unidade".

CARLOS LORDELO / ESTADÃO.EDU, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2011 | 03h02

A Congregação decidiu declarar Rodas persona non grata no mês passado, após o reitor criticar a São Francisco e seu diretor, Antonio Magalhães Gomes Filho.

Segundo Rodas, a Congregação "excedeu sua competência", portanto a deliberação tem "vício insanável" de origem. O reitor diz que o título configura punição administrativa pública, porque houve uma "musical sessão pública no pátio" das Arcadas após o voto da Congregação. Rodas também aponta "vício procedimental", já que, segundo ele, a deliberação não estava prevista em pauta e a votação deveria ter sido secreta.

Rodas diz que levará a questão ao Conselho Universitário se a Congregação não acolher o recurso. Gomes Filho não respondeu à reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.