Relatório na Irlanda estimulou onda de denúncias

Denúncias de abusos sexuais contra menores por membros da Igreja não são novidade nem exclusividade do pontificado de Bento XVI, mas um relatório divulgado em maio do ano passado, na Irlanda, chocou o mundo ao revelar mais de 30 mil casos em mais de 250 instituições administradas pela Igreja no país. De lá para cá, nova onda de denúncias surgiu em várias nações da Europa e da América, entre elas o Brasil.

, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2010 | 00h00

O atual papa foi envolvido nos escândalos após recentes reportagens do jornal The New York Times e da agência de notícias Associated Press indicarem que o então cardeal Joseph Ratzinger, como líder da Congregação para a Doutrina da Fé, durante o pontificado de João Paulo II, teria agido para retardar ou evitar a punição de padres pedófilos, priorizando a preservação da instituição. Também foi revelado que o irmão do papa, padre Georg Ratzinger, bateu em crianças.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.