Relatório reforçará ligação entre clima e atividade humana

O próximo relatório sobre aquecimento global, elaborado por uma rede científica internacional, trará evidências ainda mais fortes de que a humanidade está mudando o clima da Terra, e deverá incentivar governos arredios a agir, afirmou o chefe do grupo de pesquisadores. O trabalho, uma avaliação dividida em vários volumes e patrocinada pela ONU - tratando do derretimento das calotas polares, da elevação do nível do mar, com novos dados sobre como o mundo vem se aquecendo - "poderá dar o impulso adequado para pôr as negociações em andamento de forma mais objetiva", disse o cientista Rajendra K. Pachauri, durante a conferência das Nações Unidas sobre o clima.O climatologista indiano é o presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática (IPCC), uma rede de cerca de 2.000 cientistas que avalia, periodicamente, o estado das pesquisas sobre os efeitos da atividade humana no clima.Na terceira avaliação, divulgada em 2001, o comitê concluiu que a maior parte do aquecimento global - a temperatura mundial média subiu 0,6º C no último século - foi, provavelmente, resultado de gases produzidos pela atividade humana.A quarta avaliação, que deverá começar a ser divulgada em fevereiro, contém "evidências muito mais fortes da ação humana na mudança do clima", disse Pachauri.O Protocolo de Kyoto, de 1997, exige que 35 nações industrializadas reduzam suas emissões de gases do efeito estufa a um nível 5% inferior ao de 1990, até 2012. EUA e Austrália são as duas únicas grandes economias industrializadas a rejeitar o acordo. Na conferência atualmente em curso em Nairóbi, os signatários de Kyoto discutem que tipo de programa deverá se seguir ao fim do tratado, em 2012.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.