Remadora do Flamengo é encontrada morta em parque

Jovem estava desaparecida desde sábado e estava em parque na zona sul do Rio, com sinais de abuso

Talita Figueiredo, O Estado de S.Paulo

16 Dezembro 2008 | 19h28

Um guarda municipal que fazia ronda no Parque da Cidade, na Gávea, zona sul do Rio, encontrou na manhã desta terça-feira, 16, o corpo da remadora do Flamengo Priscila da Silva Souza, de 26 anos, sem roupas, com o rosto deformado e sinais de violência sexual. A atleta estava desaparecida desde sábado, depois de, segundo o Flamengo, participar de um treino de corrida nas Paineiras. A família havia feito buscas na região durante o fim de semana.   O corpo da jovem estava próximo ao número 598 da Estrada Santa Maria. As roupas que ela usava estavam ao lado do corpo. " Vamos aguardar a perícia para verificar o que houve, mas tudo indica que foi estuprada e ainda apanhou com brutalidade. Ainda não temos suspeitos, mas vamos ouvir parentes e colegas que estiveram com ela na manhã que ela desapareceu", disse o titular da 15ª Delegacia de Polícia, Gustavo Valentini, que investiga o caso.   A perícia esteve no local e recolheu as roupas de Priscila. O corpo será periciado no Istituto Médico Legal, só assim a polícia terá certeza do que aconteceu com a jovem. A atleta morava numa favela do Parque da Cidade e suspeita-se que ela seguia para casa quando foi abordada. Priscila tinha uma bolsa de estudos para cursar ciências biológicas na UnigranRio no ano que vem.   Moradores queixaram-se da falta de segurança na região do Parque da Cidade. Eles disseram que este foi o segundo caso em poucos meses. Uma mulher de 50 anos também foi atacada. Ela permaneceu dois dias em poder do agressor, na mata. Conseguiu fugir quando o homem dormiu. O caso foi investigado pela 15.ª DP, mas o criminoso não foi localizado. O delegado Valentini disse que vai cruzar informações para saber se os casos têm ligação. A mãe de Priscila, Ilka Souza, disse que pretende se mudar. "Eu não tenho como ficar aqui. Agora sou só eu e meu filho. Quem será o próximo?", indagou.   O Flamengo divulgou nota ontem em que lamentou o crime. Segundo o técnico Marcos Amorim, Priscila, "era uma remadora de grande potencial, estava sendo preparada para estrear na primeira Regata do Estadual de Remo 2009, no barco Four Skiff Feminino-Estreante. O departamento de Remo do C.R.F cancelou as atividades dos atletas e está tomando todas as providências para o funeral." O presidente Marcio Braga decretou luto oficial de três dias. Até o início da noite de ontem o delegado ainda não havia convocado testemunhas para depor e o enterro ainda não havia sido marcado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.