Remoções aliviam cadeia feminina superlotada em SP

Ao menos 40 das 119 presas da Cadeia Pública Feminina de Monte Mor, a 120 quilômetros de São Paulo, foram transferidas hoje para outras unidades prisionais do interior do Estado. O número de detentas no local era quase dez vezes maior que a capacidade da cadeia, com vagas para 12 mulheres. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que outras três detentas serão transferidas, número ainda insuficiente para acabar com a superlotação da unidade. Por medida de segurança, a SSP não divulgou para quais cidades foram transferidas as presas. Nas duas celas com 25 metros quadrados cada uma, além de um pátio descoberto, as mulheres improvisam condições para dormir, receber visitas e sobreviver. No local ainda permanecerão 76 presas após a conclusão das transferências. O número é semelhante ao da Cadeia Pública de Bom Jesus dos Perdões (a 77 quilômetros de São Paulo), onde 34 presas se rebelaram no último domingo e fizeram uma carcereira refém por cinco horas. A capacidade da cadeia em Bom Jesus dos Perdões também é para 12 mulheres, mas atualmente há ali 71 detentas de 18 cidades da região de Bragança Paulista.A Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) informou, por meio de assessoria, que este ano serão construídos oito penitenciárias femininas no Estado, com 550 vagas cada uma. Atualmente, há 6.400 mulheres nas seis penitenciárias e nos cinco Centros de Ressocialização estaduais.

TATIANA FAVARO, Agencia Estado

11 de janeiro de 2008 | 16h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.