Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Renan pressiona Maia para votar projeto dos supersalários nesta quarta

Após aprovação no Senado, presidente da Casa diz que falará com cúpula da Câmara para pôr proposta em pauta hoje

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2016 | 16h39

BRASÍLIA - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que vai pedir ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que vote o projeto para acabar com salários acima do teto constitucional ainda nesta quarta-feira, 14, na Câmara.

O projeto foi aprovado na noite de ontem pelo Senado Federal e seguiu para a Câmara. Renan tornou a afirmar sua intenção de prosseguir com outras etapas para coibir supersalários, como a possibilidade de devolução de valores dos últimos cinco anos. 

“Temos que decidir se quem recebeu a mais, pelos menos nos últimos cinco anos, vai devolver. Essa é uma decisão importante, que vamos discutir na sequência da Comissão (Especial do Extrateto). E também vamos trabalhar para colocar o teto nas concessões de serviços públicos. Não tem sentido concessionária de serviços públicos pagar salários absurdos, enquanto a grande maioria do povo brasileiro ganha um salário mínimo e está exposta ao desemprego”, afirmou Renan.

As propostas aprovadas ontem atingem, entre outros, magistrados, militares, chefes dos Poderes e servidores de estatais. Também enquadra como ato de improbidade a autorização de pagamento de verbas remuneratórias acima do limite. Em um dos textos aprovados ainda consta divulgação de todas as remunerações pagas aos agentes públicos, incluindo aposentados e pensionistas. Os projetos seguem agora para votação na Câmara, que deve analisá-los somente a partir de 2017.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.