Reprovação deve ser ocasional

Se por um lado o fluxo escolar deve ser estimulado, por outro, não se pode fazer do combate à repetência uma política de progressão continuada, dizem os especialistas. "Não podemos ignorar aquelas situações extremas em que a reprovação é a única medida possível", afirma Marcio da Costa, da UFRJ.

O Estado de S.Paulo

08 de agosto de 2012 | 03h08

É a chamada reprovação ocasional, típica de nações europeias e escolas particulares. Para garantir o sucesso desse aluno no ano seguinte, é preciso que ele receba um atendimento diferenciado, com processo de reforço e recuperação paralela. / O.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.