Republicano quer sanções contra o Brasil no caso S.

O deputado federal norte-americano Chris Smith, do Partido Republicano, defendeu sanções contra o Brasil depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter revertido a decisão que concedia ao norte-americano David Goldman a custódia de seu filho S., de 9 anos, que atualmente mora no País com o padrasto. A custódia havia sido concedida por uma instância inferior da Justiça. Smith pretende apresentar uma proposta para suspender as preferências comerciais dos Estados Unidos com o Brasil até que seja cumprido o tratado internacional sobre sequestro de crianças.

AE-AP, Agencia Estado

04 Junho 2009 | 14h22

O filho de Goldman vive atualmente com a família do padrasto brasileiro, o advogado João Paulo Lins e Silva. A mãe dele viajou para o Brasil em 2004, acompanhada do filho. Ao chegar ao País, ela telefonou para Goldman dizendo que o casamento entre eles acabara e ela permaneceria com a criança. Ela morreu no ano passado. Desde então o menino é alvo de uma disputa judicial pela sua guarda.

Mais conteúdo sobre:
caso SguardaEUABrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.