Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Reserva do Cantareira cai para 8,1% e bate novo recorde

Neste mês de setembro, a chuva acumulada atingiu 39,1 milímetros (mm), menos da metade da média histórica do mês, que é de 91,9 mm

Circe Bonatelli, O Estado de S. Paulo

21 Setembro 2014 | 12h37

A reserva do Sistema Cantareira, principal fonte de abastecimento da região metropolitana de São Paulo, continua em trajetória de queda e bateu novo recorde de baixa. Neste domingo, 21, o nível de água caiu para 8,1% do total. Ontem, esse patamar era de 8,2%, e há um ano estava em 42,5%, segundo monitoramento da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A falta de chuvas continua agravando a situação da reserva. Neste mês de setembro, a chuva acumulada atingiu 39,1 milímetros (mm), menos da metade da média histórica do mês, que é de 91,9 mm.

A situação no Sistema Tietê também é grave. Utilizado desde o fim do ano passado para atender a uma parcela de consumidores do Cantareira, o volume armazenado do reservatório baixou para 12,6% neste domingo, ante 12,7% ontem e 54,4% um ano atrás.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.