Reservatório do Jardim Pantanal é o pior da capital

Região emblemática por ter passado semanas debaixo d?água em três dos últimos quatro verões, o Jardim Pantanal, na zona leste de São Paulo, tem o piscinão menos cuidado da capital, entre os 17 reservatórios visitados pelo Estado nas duas últimas semanas. Ao todo, são 20 reservatórios na cidade, a maior parte em boas condições.

FABIO LEITE, ARTUR RODRIGUES E CAIO DO VALLE, Agência Estado

05 de janeiro de 2014 | 09h20

A área do pôlder com capacidade para 15 mil metros cúbicos que recebe a água escoada pelo dique que atravessa parte do bairro está limpa e as bombas funcionando, mas o piscinão na parte de trás, responsável por represar e absorver o excesso de água, parece um enorme pasto abandonado, com mato alto.

"No começo limparam tudo, agora parece que esqueceram de vez. Vai ver as canaletas. Estão entupidas porque o pessoal joga lixo e eles não limpam", disse o pedreiro Antonio Rodrigues Silva, de 54 anos, que perdeu a casa e a mobília na enchente de 2010, quando o Jardim Pantanal ficou 40 dias debaixo d?água. Em 2011 e no ano passado, o bairro voltou a sofrer com alagamentos mesmo com o piscinão, inaugurado em 2011.

Outro piscinão com problema de manutenção foi o do Guaraú, na Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte. O local exalava mau cheiro e atraía nuvens de mosquitos. Havia entulho espalhado pelo terreno e a carcaça de um velho sofá presa a um dos vertedouros de água.

"Por causa da falta de uma manutenção mais regular, somos obrigados a dedetizar aqui de mês em mês. Às vezes, num intervalo de 15 dias, porque vem muita mosca e barata paulistinha", disse Selma Vieira dos Santos Braz, de 47 anos, gerente de um restaurante que fica na frente do piscinão.

Em nota, a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informou que "a função primordial dos 20 piscinões é armazenar o excesso de águas das chuvas que chegam provenientes de ramais, córregos e galerias" e que, "obviamente, juntamente com as águas são trazidos também lixo e outros tipos de detritos ou objetos descartados irregularmente, que acabam sendo carregados para dentro do sistema de drenagem".

A pasta informou que esses restos só podem ser removidos do piscinão quando estão secos, "por isso é normal encontrar alguns montes de detritos secando nos piscinões". Segundo a secretaria, a Subprefeitura de São Miguel realiza semanalmente a limpeza do piscinão Jardim Pantanal. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Mais conteúdo sobre:
PiscinõesverãoJardim Pantanal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.