Residentes do HC da Unicamp decidem manter greve

A greve foi motivada pelo cancelamento das cirurgias eletivas em 2009, pela falta de anestesistas

Tatiana Fávaro, de O Estado de S. Paulo,

07 Janeiro 2009 | 19h25

Os 105 residentes de especialidades cirúrgicas do Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) votaram no fim da tarde desta quarta-feira, 7, pela continuidade da paralisação iniciada na segunda-feira. A greve foi motivada pelo cancelamento das cirurgias eletivas (agendadas) em 2009, pela falta de anestesistas. Segundo informou o HC por meio de assessoria, em um dia de funcionamento normal o hospital realiza 45 cirurgias (entre eletivas, emergenciais e ambulatoriais). Na segunda-feira, o número caiu para 38 e na terça, para 39. O número de cirurgias realizadas hoje só seria fechado à zero hora desta quinta-feira, 8.O cancelamento de cirurgias eletivas foi, de acordo com informações da assessoria de imprensa, decidido no fim de 2008, em acordo do colegiado do centro cirúrgico que envolve 15 disciplinas de especialidades cirúrgicas. Nos últimos oito anos, o número de anestesistas do HC caiu de 35 para 25. Dois especialistas aprovados em concurso realizado dezembro assumem a função em fevereiro. O salário de um anestesista no HC da Unicamp é de R$ 4.500,00. A média paga na capital paulista é de R$ 10 mil. Dos 455 residentes, 105 (de especialidades cirúrgicas) paralisaram as atividades. Segundo informou Davi Reis Calderoni, da comissão dos residentes em greve, as cirurgias de urgência e transplantes estão sendo realizadas normalmente e o atendimento ambulatorial, parcialmente.

Mais conteúdo sobre:
hospitalUnicampparalisação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.