Restaurantes de cidades da Copa terão manual de higiene

Vigilâncias Sanitárias das cidades que vão sediar os jogos da Copa do Mundo vão preparar um guia de restaurantes com base nos critérios de saúde e higiene. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta quinta-feira, 27, os quesitos que deverão ser observados para a classificação.

LÍGIA FORMENTI, Agência Estado

27 de fevereiro de 2014 | 20h33

Na primeira fase, deverão participar do projeto 2.500 estabelecimentos, entre bares, restaurantes e lanchonetes. Eles participam voluntariamente da iniciativa. Em vez de estrelas, serão usadas letras para classificação. São três categorias. Os melhores classificados receberão A. Os intermediários entrarão na categoria B. Os lanternas do grupo receberão nota C.

A proposta brasileira baseia-se em experiência em Los Angeles, Nova Iorque e Londres. A Anvisa intensificou no último ano medidas para garantir a segurança no comércio de alimentos, mirando na Copa do Mundo. As ações vão desde novas regras até fiscalização das condições de estádios.

Em dezembro, conforme revelou o Estado, a Anvisa apresentou um relatório que identificou uma série de falhas na estrutura e oferta de serviços de alimentação nas arenas que abrigaram os jogos da Copa das Confederações. Fiscais encontraram acúmulo de lixo, alimentos mantidos de forma inadequada e ausência de itens estratégicos nas ambulâncias que ficam à disposição do público. Nem mesmo a área VIP escapou. Pratos eram mantidos sem refrigeração.

Tudo o que sabemos sobre:
AnvisaCoparestaurantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.