Resultado do governo central piora em junho

O resultado do governo central apresentou forte deterioração em junho, com déficit primário de 643,8 milhões de reais frente a um superávit de 7,92 bilhões de reais um ano atrás.

REUTERS

28 Julho 2009 | 16h39

Os dados, divulgados nesta terça-feira pelo Tesouro Nacional, mostraram também que o superávit primário acumulado no primeiro semestre caiu para 18,563 bilhões de reais, o equivalente a 1,28 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

Em igual período do ano passado, o saldo positivo era de 61,378 bilhões de reais, ou 4,40 por cento do PIB.

O secretário do Tesouro, Arno Augustin, estimou que o desempenho das contas públicas será melhor na segunda metade do ano com uma recuperação das receitas, mas admitiu que pode "haver outros meses negativos".

Os gastos com custeio aumentaram 18,4 por cento no primeiro semestre, descontado o crescimento nominal do PIB e Augustin espera que essa taxa seja menor no segundo semestre.

"A minha expectativa é que o número no final do exercício não seja tão alto", disse a jornalistas.

Ele também destacou que houve dois gastos que pesaram no primeiro semestre e não vão se repetir: o pagamento de 1 bilhão de reais do Fundo de Participação dos Municípios referente ao exercicio do ano passado e um auxílio financeiro relativo a Lei Kandir no valor à vista de 1,950 bilhão de reais.

Questionado se a piora do resultado primário estaria impactando a curva futura de juros, Augustin negou.

"Não acho que tenha impacto negativo no mercado em termos de juros... Anunciamos um resultado (primário) menor em 2009 e não houve nenhum impacto disso na curva de juros."

Diante da crise financeira global, o governo reduziu a meta de superávit primário do setor público consolidado para 2,5 por cento do PIB este ano.

(Texto de Isabel Versiani e Daniela Machado)

Mais conteúdo sobre:
MACRO GOVCENTRAL ATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.