Revólver usado na morte de recepcionista é apreendido

Responsável pelo assassinato confessou o crime e levou a polícia à casa do dono da arma

Ricardo Valota e Paulo Maciel, estadao.com.br

09 Janeiro 2009 | 03h51

A arma utilizada no assassinato da recepcionista Marina Sanchez Garnero, de 23 anos, funcionária da academia Oxigênio, na Lapa, zona oeste da capital paulista, assim como o responsável por alugá-la ao autor do crime, estão em poder da polícia. Segundo a polícia, Bruno Wittmann Alves foi quem alugou o revólver calibre 38, de numeração raspada, ao motoboy Marcelo Travitzki Barbosa, 29 anos. Após matar a ex-namorada dentro da academia, Marcelo teria devolvido a arma, que foi deixada novamente na residência de Bruno, no bairro de Perdizes. Detido na região central de São Paulo, na esquina da Rua Santa Ifigênia com a Avenida Ipiranga, o acusado confessou o crime e levou os policiais até o imóvel do amigo, onde foram apreendidas a arma e munição. Também detido pela polícia, Bruno foi indiciado por porte ilegal de arma.

Mais conteúdo sobre:
crimeacademia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.