Reynaldo Gianecchini se emociona ao reestrear no teatro

Ator agradeceu em especial à mãe e aos médicos e enfermeiros que o trataram após o diagnóstico de linfoma

MARIA EUGÊNIA DE MENEZES, O Estado de S.Paulo

14 Março 2012 | 03h01

"Esse é um trabalho de amigos. Vocês não imaginam a minha emoção por estar aqui hoje." Foram essas as primeiras palavras do ator Reynaldo Gianecchini após a reestreia do espetáculo Cruel, no Teatro Faap, em São Paulo. Visivelmente emocionado, o ator chorou logo depois que começou a falar.

Em sua primeira apresentação desde que foi diagnosticado com linfoma não Hodgkin de células T, um tipo mais raro de câncer que atinge o sistema de defesa do organismo, em agosto do ano passado, Gianecchini foi ovacionado pela plateia assim que as cortinas se abriram, mas só falou ao público depois do término da peça.

O ator de 39 anos fez questão de agradecer "a todos que torceram pela minha recuperação" - ele passou por um autotransplante de medula óssea em janeiro. Mas fez questão de citar a mãe, que estava sentada na terceira fileira. "Eu só tenho que agradecer todos os dias da minha vida pela minha mãe, por tê-la como mãe. A família é a força maior da gente", disse.

Acompanhado pelos atores Erik Marmo e Maria Manoella, Gianecchini também lembrou dos médicos responsáveis pelo seu tratamento, que estavam presentes. Chorando mais uma vez, ele falou sobre o corpo clínico do Hospital Sírio-Libanês. "Eu me surpreendi, durante todo esse processo, com o valor da vocação. É impressionante a dedicação de todos os médicos e enfermeiros que cuidaram de mim."

Gianecchini encerrou o seu breve discurso, pelo qual foi muito aplaudido, falando sobre o valor do amor. "A grande descoberta que eu fiz nesse período foi o quanto nós somos capazes de amar."

Uma multidão de fotógrafos e cinegrafistas tomou a frente do palco do teatro durante o discurso. E, mesmo horas antes de o espetáculo começar, os repórteres já o aguardavam no saguão do teatro.

O espetáculo deve seguir em temporada até maio, quando o ator deve tirar um período de férias. Logo na sequência, Gianecchini deve voltar à televisão, para um remake da novela Guerra dos Sexos, de Sylvio de Abreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.