Rica safra de brancos

Mais uma vez, brancos feitos com a Sauvignon Blanc no Chile. Pode até parecer overdose, mas os preços e a qualidade mais do que justificam. Essa série de matérias sobre o mesmo tipo de uva nem sequer foi planejada. É que a pesquisa inicial mostrou um grande número de produtos promissores a preços atraentes que deveriam ser revelados aos leitores. E as degustações confirmaram a previsão. Assim, fomos levados a dividir entre os exemplares até R$ 30 (duas colunas) e depois até R$ 60, como a de hoje, que reúne apenas vinhos dos vales de Casablanca e San Antonio-Leyda. Com os brancos do Valle Central, vamos conseguir mostrar um quadro bastante abrangente desses vinhos, entre os mais adequados para bebericar nestes dias de verão e também para acompanhar alguns pratos leves de peixes, frutos do mar e alguns queijos, como os de cabra (uma combinação especial) e os frescos. A Sauvignon Blanc e a Sémillon são as brancas mais tradicionais do Chile. A Chardonnay chegou há pouco tempo. A Sémillon dificilmente aparece nos rótulos e os vinhos feitos com a Sauvignon até uns 20 anos não se destacavam tanto. Como aconteceu com a Carmenère, que era confundida com a Merlot, plantas de Sauvignonaisse apareciam nos vinhedos misturadas com a Sauvignon Blanc. Hoje, esse problema está sendo sanado e os guias recentes nem falam em Sauvignonaisse. Nas plantações nos novos vales, que começaram em 1982 em Casablanca e depois se estenderam para San Antonio-Leyda, apenas a uva original. As distinções entre a Sauvignon e a Sauvignonaisse foram identificadas na década de 1990 e as boas vinícolas já conhecem as cepas. Como assinala o excelente Grapes & Wines, de Oz Clark e Margaret Rand, muitos dizem que a Sauvignonaisse seria a Pinot Grigio. Os autores assinalam que os vinhos efetivamente se parecem e aventam a possibilidade do aparecimento de bons elaborados pela Pinot Grigio (Sauvignonaisse) no Chile. VENTISQUERO SAUVIGNON BLANC RESERVA 2007 ONDE: EMPÓRIO FREI CANECA - 3471-2082 Preço: R$ 39,90 Cotação: 89/100 Do Vale de Casablanca. O que se pode esperar de um Sauvignon leve, fresco alegre, ideal para bebericar. Boa relação qualidade-preço. Cor atraente, com reflexos esverdeados, como é comum e desejável em produtos dessa uva. Aroma potente e muito típico. Muitas frutas tropicais, notadamente maracujá. Também toques minerais. O vinho cumpre na boca a promessa do aroma. Bem dentro do que seria uma definição do Sauvignon Blanc: muita fruta, ótima acidez, frescor que convida para o gole seguinte e muito aromático. Não é dos mais encorpados e concentrados, no que fica ainda dentro do esperado. Equilibrado, com álcool comportado e mais do que no ponto... Melhorou com o tempo. Deixou sensação gostosa na boca. 13% de álcool. CARMEN SAUVIGNON BLANC RESERVE 2006 Onde: Mistral - 3372-3400 Preço: R$44 Cotação: 91/100 A Carmen é associada ao grande grupo da Santa Rita e faz vinhos de vários tipos em diferentes vales do Chile. Este é de Casablanca e encanta do começo ao fim. Aroma excelente, desses que saltam do copo, muito potente. Toques esverdeados tornam a cor atraente, sugerindo o frescor que, encontramos no vinho. O maracujá domina o aroma, mais do que agradavelmente. Continua no mesmo diapasão na boca. Um vinho com concentração de sabor, não encorpado, mas elegante e muito gostoso. Melhorou com tempo no copo. Ficou mais complexo, com algo floral e de mel. Gostoso de bebericar e com concentração e acidez que o credenciam para acompanhar muitos peixes e mariscos. Pede para ser bebido já. Álcool equilibrado. 13% de álcool. NIMBUS ESTATE SAUVIGNON BLANC 2006 Onde: Casa Flora - 6842-5199 PREÇO: R$ 45 Cotação: 88/100 Um produto da Viña Casablanca, ligada à tradicional Santa Helena. Vinhedos num local privilegiado e frio do Vale de Casablanca, bem perto do Pacífico, de onde chegam as brisas que influenciam o clima. Também reflexos esverdeados na cor bem clara. Aroma ótimo, mas não dos mais intensos. Evocações cítricas. Muito típico o aroma. Melhor na boca. Ataque gostoso, cítrico e muito fresco. Ótima acidez e boa concentração de sabor. Fresco, fácil de beber e de gostar. Melhorou com o tempo no copo. Depois de um certo tempo apareceram as evocações minerais e, principalmente, de maracujá. Também, algo de mel ao final. Equilibrado e também em ótima forma, bom para beber já. Longo. Fica sensação de boca limpa, saudável. 13,5% de álcool. AMAYNA SAUVIGNON BLANC 2006 Onde: Mistral - 3372-3400 Preço: R$ 58 Cotação: 90/100 Um vinho de San Antonio-Leyda, região fria, bem perto do Pacífico e de implantação recente. Os brancos e os feitos com a Pinot Noir na região estão impressionando. A vinícola Garcez Silva faz este branco alegre, frutado e com ótima acidez e um outro fermentado em carvalho, mais caro, concentrado e diferente. Prefiro este, fresco delicioso, fácil de beber. Os Sauvignons que passam pela madeira são exceções. Aroma muito bom, não tão intenso e nem tão típico, apesar de lembrar o maracujá. Melhor na boca. Elegante, com corpo, e intenso. Vocação para a mesa, para peixes, mariscos e queijos. Quente, mas não alcoólico. Álcool não aparece demais, equilibrado. Algo mineral, evocações de pêra. 14,5% de álcool.

O Estado de S.Paulo

31 Janeiro 2008 | 03h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.