Rio Grande do Sul detecta encefalopatia em carneiro

O Ministério da Agricultura (Mapa) confirmou a ocorrência de um caso de scrapie em carneiro da raça Suffolk no Rio Grande do Sul. A doença é causada por uma partícula (príon) que contamina o animal no momento do parto e não é transmissível ao homem. Ela atinge somente ovinos e caprinos, explicou o chefe da divisão de sanidade agropecuária do Mapa no Estado, Bernardo Todeschini. O diagnóstico foi feito em laboratório da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). O Mapa já analisou os ovinos na propriedade de origem do animal e nenhum apresentou sintomas da doença. Como a transmissão tem característica restrita, a investigação é feita a partir dos ascendentes do animal, disse Todeschini. Os machos não transmitem a enfermidade. O carneiro doente foi sacrificado. Ele apresentou alterações no sistema nervoso e foi levado ao laboratório da Ufrgs para exame. A doença é uma encefalopatia e causa a morte do animal. Todeschini observou que o Mapa trabalha em um plano de prevenção ao scrapie, que irá considerar a suscetibilidade à doença na população pesquisada. A moléstia é de notificação obrigatória à Organização Mundial de Saúde Animal, mas como o modelo de transmissão é lento o comunicado pode ser feito a cada seis meses. Conforme o Mapa, também houve um caso recente no Mato Grosso do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.