Rio modernizará bondes de Santa Teresa até 2013

O governador do Rio, Sérgio Cabral, afirmou hoje em Lisboa que com um investimento inicial de R$ 40 milhões, o governo do Estado entregará à população um moderno sistema de bondes em Santa Teresa até 2013. Em nota à imprensa, ele informou que assinou, com o presidente da empresa Carris - que administra os bondes de Lisboa -, José Manuel Silva Rodrigues, um termo de cooperação técnica para a recuperação do sistema de um dos principais cartões-postais da cidade.

KELLY LIMA, Agência Estado

02 de novembro de 2011 | 17h53

O acordo foi firmado duas semanas depois de técnicos de três segmentos da Carris - rede aérea, bondes e via terrestre (trilhos) - analisarem o sistema e coletar informações que ajudaram a direcionar os próximos passos do trabalho com os bondinhos - que, inclusive, já foram administrados pela companhia nos anos 40. O governador destacou as semelhanças da operação de bondes em Lisboa e em Santa Teresa.

Mais cedo, durante palestra promovida pelo grupo de comunicação EJESA (Empresa Jornalística Econômico S/A), o governador falou a empresários portugueses sobre as oportunidades de investimento que o Estado oferece e ressaltou a política de pacificação como uma grande conquista do Rio. "Hoje temos os menores índices de criminalidade dos últimos 20 anos e que vêm sendo reduzidos, com as Unidades de Polícia Pacificadora. As UPPs estão rompendo a divisão entre os que moram no asfalto e aqueles que vivem nas comunidades carentes. Amanhã, vamos inaugurar mais uma UPP, desta vez em uma comunidade muito querida minha e da minha família, uma tradição para o samba e a cultura do Rio de Janeiro, que é a Mangueira. Então, aquele Rio tão belo, mas dividido pela violência, hoje é cada vez mais um Rio pacífico e de braços abertos para receber quem nos visita a lazer ou a negócios", afirmou.

O segundo e último dia da agenda oficial do governador em Lisboa começou com uma reunião com o primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, eleito em junho deste ano. Eles conversaram sobre a situação da economia mundial e os laços históricos, econômicos e culturais entre Brasil e Portugal. Cabral propôs a Passos Coelho a ida de uma delegação de empresários portugueses ao Brasil para que possam firmar parcerias com empresas públicas e privadas brasileiras capazes de investir em Portugal, o que poderá gerar investimentos e ajudar, ao mesmo tempo, a movimentar a economia brasileira e ao país europeu a superar as dificuldades que enfrenta atualmente. O primeiro-ministro confirmou que em breve um grupo de empresários irá ao Brasil e começará a agenda pelo Rio de Janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:
RioSérgio CabralbondesSanta Teresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.