Rio monta esquema para implosão no sambódromo

A prefeitura do Rio de Janeiro montou um esquema especial para a implosão da antiga fábrica da Brahma, ao lado do sambódromo, que acontece neste domingo, às 8 horas. Por uma questão de segurança, os moradores dos imóveis localizados num raio de 150 metros, que abrange a Rua Benedito Hipólito e Avenida Salvador de Sá, deverão deixar as suas casas antes das 7 horas. Eles terão de ir para um lugar seguro até o término da implosão e a liberação da área pela Defesa Civil, prevista para 8h30.

EQUIPE AE, Agência Estado

02 Junho 2011 | 12h50

Agentes da prefeitura estão visitando moradores e comerciantes e distribuindo panfletos informativos sobre a operação especial para a população do entorno da passarela do samba. A demolição da antiga fábrica da Brahma faz parte do projeto de ampliação do sambódromo e dará lugar a novas arquibancadas e camarotes. A intervenção vai resgatar o projeto original de Oscar Niemeyer, que previa um equilíbrio entre os dois lados da Marquês de Sapucaí.

Além disso, a reforma atende também ao compromisso da cidade com os Jogos Olímpicos de 2016 e prevê adaptações para a realização das provas de maratona (chegada) e tiro com arco. A obra inclui a demolição do antigo prédio da Brahma e do setor 2 (camarotes) para dar lugar a quatro novos blocos com arquibancadas, camarotes e frisas similares aos existentes do outro lado da passarela do samba. Com a ampliação, a capacidade de público do sambódromo vai passar de 60 mil para 77.688 pessoas.

Devidos aos trabalhos, o estacionamento fica proibido das 14 horas de sábado até as 9 horas de domingo, em 28 pontos da região. Para garantir a segurança dos motoristas, 12 ruas e avenidas serão interditadas a partir das 6h30 de domingo até o término dos trabalhos de implosão. O Elevado 31 de Março e o Túnel Santa Bárbara fecharão ao tráfego as 7h30.

A Linha 1 do Metrô será interrompida por 20 minutos, entre 7h50 e 8h10 de domingo, nas estações Central do Brasil, Praça Onze e Estácio. O acesso à estação Praça Onze será fechado às 7h30 e só será reaberto aos usuários às 8h10. A Linha 2 funcionará normalmente.

Após a implosão, 12 equipes da Comlurb, totalizando 40 homens, farão a limpeza da área com o apoio de um caminhão pipa. A equipe de emergência da Comlurb também estará de sobreaviso para qualquer eventualidade.

Mais conteúdo sobre:
SambódromoimplosãoRJ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.