Rival de Berlusconi diz que renuncia se denúncia for verdadeira

Gianfranco Fini, rival do primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, se defendeu neste sábado contra acusações de falta de decoro e disse que renunciaria ao cargo de presidente do Parlamento se as alegações contra ele sobre irregularidades numa negociação imobiliária se provarem verdadeiras.

CATHERINE HORNBY, REUTERS

25 de setembro de 2010 | 18h02

O racha entre Berlusconi e Fini, co-fundadores do partido hoje na situação, tem aproximado o governo do colapso.

Il Giornale, um jornal administrado pelo irmão de Berlusconi, tem publicado artigos que acusam Fini de negociações impróprias relacionadas a um apartamento em Mônaco.

Numa mensagem em vídeo neste sábado, Fini afirmou que é hora de terminar com o "massacre" de mídia, iniciado com a acusação de que o aparatamento tinha sido vendido por um preço abaixo do seu valor para uma empresa no exterior, que serviria de fachada para Giancarlo Tulliani, irmão do seu sócio.

Fini voltou a dizer que não sabia quem era o proprietário e que Tulliani negara ser ele o dono.

"Se Tulliani for o dono e se a minha boa fé tiver sido traída, eu não hesitarei em deixar a presidência da câmara," afirmou Fini.

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIADENUNCIAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.