Romney consegue US$60 milhões em caixa a mais que Obama

O Partido Republicano e seu pré-candidato presidencial, Mitt Romney, têm quase 60 milhões de dólares a mais em caixa do que o presidente dos EUA, Barack Obama, e seu Partido Democrata, mas analistas alertam que é cedo para supor uma vantagem para o desafiante na eleição de novembro.

ALINA SELYUKH E ALEXANDER COHEN, Reuters

21 de agosto de 2012 | 09h38

As campanhas de Obama e Romney travam uma disputa para se tornarem a mais bem sucedida operação de arrecadação eleitoral na história dos EUA. Em julho, Romney e seu partido arrecadaram 101 milhões de dólares, superando pelo terceiro mês consecutivo a arrecadação de Obama e dos democratas, que conseguiram 75 milhões.

A campanha de Romney disse que no final de julho tinha em caixa 186 milhões de dólares. A campanha de Obama divulgou na segunda-feira possuir 127 milhões. Essas quantias podem se traduzir em anúncios televisivos, contratações de pessoal, aluguel de escritórios e realização de eventos nos dois meses e meio que faltam para a eleição.

A campanha de Obama tem mais funcionários e escritórios, e por isso gasta mais. A situação levou Obama a disparar uma enxurrada de emails a apoiadores pedindo doações que façam frente à vantagem financeira do rival.

Mas Michael Malbin, diretor da ONG apartidária Instituto do Financiamento de Campanhas, disse que Romney, embora com cofre mais cheio, gasta de forma "menos eficiente". "Obama está à frente na pilha mais flexível (de dinheiro disponível)", afirmou.

Segundo especialistas, o dinheiro que fica com a campanha pode ter um uso mais flexível, para responder instantaneamente a um ataque do rival, por exemplo. Já a verba confiada ao partido é útil na mobilização de eleitores e grupos comunitários, mas neste ano foi adotado um limite de 21,7 milhões na transferência dos partidos para as campanhas. Isso, segundo Malbin, tem impacto na compra de espaço publicitário.

O Partido Republicano tem arrecadado mais que o democrata. Em julho, os republicanos conseguiram 37,7 milhões de dólares, e fecharam o mês com 88,7 milhões. Já os democratas arrecadaram 8,8 milhões no mês e encerraram julho com 15,4 milhões de dólares em caixa.

Já entre as campanhas a situação se inverte. Romney disse ter chegado ao final de julho com 30,2 milhões de dólares no banco, contra 87,7 milhões de Obama.

"No quadro geral, vendo de longe, a campanha de Obama tem uma posição financeira mais forte do que a campanha de Romney", disse Malbin.

Obama bateu em 2008 o recorde histórico de arrecadações eleitorais nos EUA, conseguindo 750 milhões de dólares. Na atual campanha, ele começou o ano em situação bem mais confortável do que Romney, que precisou enfrentar rivais internos até despontar como candidato da oposição em maio.

(Reportagem adicional de Patrick Temple-West)

Mais conteúdo sobre:
EUAELEICOESDINHEIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.