Romney critica escolas dos EUA em novo ataque a Obama

O pré-candidato republicano Mitt Romney abriu nesta quarta-feira uma nova frente na disputa eleitoral norte-americana, acusando seu rival Barack Obama responsabilidade pela deterioração do sistema educacional, que segundo ele está dominado por sindicalistas avessos a reformas.

SAM YOUNGMAN, REUTERS

23 Maio 2012 | 19h17

Num raro desvio do seu principal tema de campanha, a economia, Romney apresentou um plano educacional durante um discurso que representou seu mais escancarado aceno até agora para o eleitorado hispânico, que apoia majoritariamente a reeleição do presidente democrata.

Na sua fala a microempresários de origem latina em Washington, o republicano evitou mencionar a principal prioridade política dos hispânicos dos Estados Unidos, que é a reforma do sistema de imigração.

O virtual indicado republicano à Casa Branca disse que milhões de crianças norte-americanas estão recebendo uma "educação de terceiro mundo", e propôs medidas que recompensem os professores por seus resultados, e não pelo tempo de serviço.

Ele disse também que pretende dar mais opções aos pais a respeito de onde seus filhos estudarão, e que irá reduzir o poder dos sindicatos de professores.

"Acredito que o presidente deve estar perturbado pela falta de progressos desde a posse. Provavelmente, ele gostaria de ter feito mais. Mas os sindicatos de professores são um dos maiores doadores dos democratas, e um dos maiores apoiadores da campanha do presidente. Então, o presidente tem sido incapaz de enfrentar os dirigentes sindicais, e não tem tido disposição de se erguer pelas crianças", disse Romney.

O discurso de Romney coincide com um acirrado debate em Washington a respeito dos programas de financiamento educacional.

Os democratas defendem uma prorrogação dos empréstimos federais com juros subsidiados, que hoje estão em 3,4 por cento, e podem dobrar se a atual lei expirar. Após uma longa disputa entre os partidos, há a expectativa de que um acordo com os republicanos surja até a data limite de 1o de julho.

Romney, ex-governador de Massachusetts, aparece cabeça a cabeça com Obama nas pesquisas, num prenúncio de uma eleição imprevisível em novembro.

Até agora, o principal tema de campanha do republicano tem sido a retomada do crescimento econômico. Já os democratas têm enfatizado demissões ocorridas em empresas assumidas pela firma de investimentos Bain Capital, da qual Romney foi diretor.

Mais conteúdo sobre:
EUALEICOES ESCOLAS ROMNEY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.