Romney e Santorum travam luta em Ohio na 'Super-Terça'

O pré-candidato Mitt Romney pode dar nesta terça-feira um importante passo para liquidar seu rival Rick Santorum e assumir a dianteira definitiva na disputa pela indicação do Partido Republicano à Casa Branca.

STEVE HOLLAND E SAM YOUNGMAN, REUTERS

06 Março 2012 | 09h36

Dez Estados realizam eleições primárias ou caucus (assembleias eleitorais) nesta terça-feira, sendo Ohio o mais importante deles.

Romney chega à "Super-Terça" embalado por cinco vitórias consecutivas, e as pesquisas mostram que ele reverteu a vantagem de Santorum em Ohio, que chegou a mais de dez pontos percentuais, e está agora em situação de empate técnico com o rival.

A "Super-Terça" é o dia mais importante da disputa interna republicana, com a eleição de 419 dos 1.144 delegados necessários para conquistar a nomeação do partido para enfrentar o democrata Barack Obama na eleição de 6 de novembro.

Romney é favorito na Virgínia, em Vermont e em Massachusetts, onde foi governador, além de ter chances de desbancar Santorum no Tennessee.

Santorum lidera em Oklahoma, Ron Paul aposta suas fichas no Alasca, e Newt Gingrich esta à frente na Geórgia, por onde foi deputado. Idaho e Dacota do Norte completam a "Super-Terça".

Uma vitória em Ohio e um bom desempenho em outras disputas podem dar um ar de inevitabilidade à candidatura de Romney, apesar da desconfiança com que os conservadores o veem.

Mas a imprevisibilidade tem sido a marca da disputa republicana neste ano, e uma vitória de Santorum em Ohio voltaria a deixar o processo em aberto.

Romney gastou bem mais do que o seu rival na campanha em Ohio, e fez muitos anúncios atacando o adversário. Falando a partidários na noite de segunda-feira em Cuyahoga Falls, Santorum disse que não iria se intimidar com isso. "Quem quer mais (a vitória)? Eu sou um lutador e um guerreiro."

Na sua última investida contra Romney antes da "Super-Terça", Santorum citou a reforma da saúde feita por Romney em Massachusetts, e que serviu de base para uma reforma federal implantada por Obama e que os republicanos, incluindo Romney, prometem tentar revogar.

Santorum disse que essa semelhança seria ruim para Romney numa disputa contra Obama, fazendo do ex-governador "o candidato mais fraco que poderíamos possivelmente apresentar".

Romney tem preferido focar em questões de economia e política externa, enfatizando sua experiência prática como empresário -em contraposição a Santorum, que só teria aprendido economia em debates no Senado.

O pré-candidato ganhou também a ajuda da sua esposa, Ann. "Só há uma resposta, e ela está bem aqui", disse a mulher em Zanesville. "Se Mitt ganhar, ganha a América. Se Mitt perder, perde a América."

Tentando tirar o foco dos republicanos, Obama convocou para terça-feira uma rara entrevista coletiva na Casa Branca.

(Reportagem adicional de Eric Johnson)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.