Romney é vaiado em convenção afro-americana nos EUA

O pré-candidato presidencial republicano Mitt Romney foi vaiado nesta quarta-feira por uma plateia afro-americana ao dizer que tentará revogar o principal feito do governo do seu rival Barack Obama, a reforma da saúde pública.

STEVE HOLLAND, Reuters

11 de julho de 2012 | 21h22

A mensagem conservadora de Romney não foi bem recebida na convenção anual da NAACP, organização de direitos civis cujos integrantes afro-americanos estão entre os mais fiéis partidários de Obama, que tentará a reeleição.

A reação não foi uniformemente negativa. Romney foi ovacionado de pé ao final, e houve numerosos momentos de aplausos durante o discurso.

O salão da conferência estava ocupado pela metade, com centenas de pessoas que aplaudiam educadamente até o trecho em que ele prometeu revogar a reforma da saúde caso seja eleito presidente dos Estados Unidos em 6 de novembro.

"Vou eliminar todos os programas caros e não-essenciais. Isso inclui o Obamacare", disse Romney. Então as vaias surgiram, mas o pré-candidato não pareceu se abalar.

Ele foi vaiado também quando declarou que o presidente democrata prometeu criar mais empregos, mas que "não irá, não consegue, e seu histórico dos últimos quatro anos mostra isso".

E as vaias voltaram a surgir quando ele disse: "Se eu for presidente, minha primeira tarefa será gerar empregos. Não tenho uma agenda oculta. Se vocês querem um presidente que tornará as coisas melhores para a comunidade afro-americana, estão olhando para ele."

Romney sabia que estava falando com pessoas que normalmente não votam nele. Obama tem o apoio de cerca de 90 por cento do eleitorado negro.

(Reportagem de Steve Holland)

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICOESROMNEYVAIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.