Romney vai atrás de dinheiro para enfrentar Santorum

O pré-candidato republicano Mitt Romney se empenhou nesta segunda-feira em conseguir dinheiro para conter a ascensão do seu rival Rick Santorum na disputa pela indicação do partido à Casa Branca, e admitiu que a batalha pode se prolongar até junho.

STEVE HOLLAND, REUTERS

26 Março 2012 | 19h42

A disputa partidária, excepcionalmente acirrada este ano, está exigindo dos candidatos mais tempo e dinheiro do que eles esperavam, o que pode enfraquecer o pré-candidato que for escolhido para enfrentar o democrata Barack Obama na eleição presidencial de novembro.

Romney vai buscar recursos em cinco eventos na segunda e terça-feira na Califórnia, e depois segue para fazer o mesmo no Texas. Apesar de consolidar sua liderança na disputa nas últimas semanas, ele reconheceu que pode chegar à última eleição primária (a da Califórnia, em 5 de junho) sem maioria absoluta de delegados para a convenção partidária nacional.

"Por isso venho até vocês um pouco antes da primária da Califórnia -que é só em junho-, mas preciso que vocês se preparem, organizem seu esforço, chamem seus amigos para votar, recolham algum dinheiro de contribuições de campanha", afirmou Romney a eleitores em San Diego.

Durante a campanha nos Estados, Romney tem gasto muito mais que seu rival para exibir propagandas atacando os adversários -principalmente Santorum.

Em fevereiro, os gastos de Romney e de seus apoiadores superaram o que foi arrecadado. A campanha do ex-governador de Massachusetts tem à disposição agora menos de metade do dinheiro que havia em caixa no final de 2011, e também está bem mais pobre que a de Obama, candidato à reeleição.

A campanha "oficial" de Romney arrecadou 11,5 milhões de dólares em fevereiro, e gastou 12,2 milhões. Já o comitê extraoficial de apoio ao candidato obteve 6,4 milhões de dólares e gastou os mesmo 12,2 milhões.

Norm Ornstein, especialista em política do Instituto da Empresa Americana, disse que Romney parece ter dificuldade para obter doações pequenas. "O interessante para mim é que não vejo Romney construindo uma base de pequenos doadores. Eu o vejo dependendo demais dos Super PACs (comitês de apoiadores financeiros)".

As doações inferiores a 200 dólares por enquanto somam um total de 7,5 milhões de dólares, o que é menos de 10 por cento de todo o dinheiro que entrou para Romney. Nos últimos meses, o candidato não consegue elevar esse percentual.

Já Santorum conseguiu 8,1 milhões de dólares dos pequenos doadores, o que representa 52 por cento do seu total.

Em seu discurso numa fábrica de equipamentos médicos em San Diego, Romney voltou a criticar as políticas de Obama para a saúde pública, e disse que o excesso de regulamentos e impostos federais nessa área atrapalha a recuperação da economia como um todo.

(Reportagem adicional de Alina Selyukh e Patricia Zengerle em Washington)

Mais conteúdo sobre:
EUAELEICOES DINHEIRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.