Ron Paul abandona sua campanha à presidência dos EUA

O pré-candidato Ron Paul anunciou na segunda-feira que vai interromper sua campanha para ser o indicado do Partido Republicano dos EUA à Casa Branca.

REUTERS

14 Maio 2012 | 18h47

Agora, a campanha dele vai se concentrar em tentar influenciar as convenções estaduais, elegendo mais delegados para a Convenção Nacional Republicana de agosto.

"Nossa campanha vai continuar a trabalhar no processo de convenções estaduais. Vamos continuar a assumir posições de liderança, a ganhar delegados, a passar uma mensagem forte à Convenção Nacional Republicana de que a liberdade é o caminho para o futuro", disse Paul em nota.

"Daqui em diante, no entanto, não vamos mais gastar recursos fazendo campanha nas primárias em Estados que ainda não votaram", acrescentou. "Fazer isso com alguma esperança de sucesso exigiria dezenas de milhões de dólares que nós simplesmente não temos."

Paul é o último concorrente do favorito Mitt Romney na disputa pela indicação republicana para enfrentar o presidente democrata Barack Obama na eleição de novembro.

O deputado de 76 anos até agora não venceu em nenhum Estado, e soma apenas 99 delegados, contra 949 de Romney, segundo o site Real Clear Politics. Um candidato precisa de 1.144 para obter a indicação.

Em sua campanha, Paul defende a redução do papel do governo, a eliminação do Federal Reserve (banco central dos EUA) e o fim da presença militar dos EUA no exterior.

(Reportagem de Deborah Charles)

Mais conteúdo sobre:
EUAELEICOES RONPAUL DESISTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.