RS: Justiça recebe inquérito da Operação Curto-Circuito

O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul tem cinco dias para oferecer denúncia contra os envolvidos nas fraudes investigadas pela Operação Curto Circuito, da Polícia Federal, naquele estado. Nesta terça-feira, o Núcleo de Repressão a Crimes Financeiros (NUFIN) da Delegacia Regional de Combate ao Crime Organizado (DRCOR) da Polícia Federal entregou o inquérito conclusivo à 1ª Vara Federal Criminal do RS. Se a denúncia for aceita, os indiciados passarão a responder a processo criminal como réus.As suspeitas iniciais eram de que um grupo envolvendo altos funcionários da Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) utilizava meios fraudulentos para obtenção de financiamento superior a 170 milhões de euros (o equivalente a mais de R$ 400 milhões) junto ao banco alemão KFV. Os empréstimos foram concedidos mediante aval da CGTEE, obtido através de assinaturas falsificadas em documentos da estatal. Instaurado em 7 de agosto, o inquérito teve nesta semana seu relatório conclusivo que indicia ao todo nove pessoas pelos crimes de formação de quadrilha, estelionato, tráfico de influência, corrupção ativa , corrupção passiva e crimes contra o Sistema Financeiro Nacional. No último dia 21, a PF começou a cumprir mandados de prisão preventiva na Região Metropolitana de Porto Alegre. Entre os presos estão ex-funcionários da companhia. Segundo a direção da empresa, uma sindicância interna instaurada já havia apurado irregularidades e um diretor foi demitido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.