Rudimental traz eletrônica para o campo aberto do Lollapalooza

Com um blend de drum and bass, música pop e uma lembrança do soul, o grupo de Hackney, Londres, o Rudimental levou um bom público ao palco Onix do Lollapalooza na tarde deste domingo, 29.

GUILHERME SOBOTA, Estadão Conteúdo

29 de março de 2015 | 15h37

Geralmente confinadas à tenda Perry, espaço oficial da música eletrônica no Festival, as batidas sintéticas do grupo ganharam o campo aberto após liderar as paradas britânicas em 2012. Home, único álbum do grupo, de 2013, pareceu agradar os fãs que enfrentaram a carranca do céu de SP para ver o grupo.

Nem nos sonhos mais estranhos, Jim Morrison (o cara do Doors que nos anos 60 previu que a música eletrônica tomaria conta de tudo) poderia imaginar o que ela faria de fato. Pela primeira vez nos palcos abertos do Lollapalooza, as pessoas pularam e a terra tremeu.

Muito ovacionado, o quarteto (que na verdade veio para a América Latina como um trio) mistura o ritmo eletrônico com um pé fincado numa espécie de funk europeu e com memórias do soul (Ray Charles passou pela mesa do incrivelmente carismático DJ Locksmith, líder natural do grupo).

Em 2012, Feel the Love, com a participação de John Newman, estreou como número 1 da parada britânica. O Rudimental é originalmente Piers Agget, Amir Amor, Kesi Dryden e DJ Locksmith (Leon Rolle).

Mais conteúdo sobre:
LollapaloozaRudimental

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.