Rússia acusa EUA por atraso de acordo

Assinatura de pacto para reduzir arsenais estava prevista para hoje

REUTERS E AFP, MOSCOU, O Estadao de S.Paulo

18 Dezembro 2009 | 00h00

As negociações para a assinatura de um novo tratado de redução do arsenal nuclear entre EUA e Rússia não devem ser concluídas nesta semana, disse ontem o chanceler russo, Sergei Lavrov. A assinatura estava prevista inicialmente para hoje, mas fontes diplomáticas de Moscou afirmaram não acreditar que as negociações terminem ainda neste ano.

Por seu lado, o Departamento de Estado dos EUA informou ontem que espera acertar o pacto ainda em 2009. O presidente americano, Barack Obama, e seu colega russo, Dmitri Medvedev, devem se reunir hoje em Copenhague, paralelamente à cúpula climática da ONU, informou um funcionário americano. O acordo deveria ser assinado após o final da cúpula.

Lavrov acusou Washington de diminuir seus esforços para concluir o acordo. "Não deve ocorrer na Dinamarca", disse Lavrov, que pediu que os EUA aceitem cortes maiores em seu arsenal nuclear e exijam menos medidas de controle sobre as armas russas.

"Já é hora de deixar de lado o excesso de suspeitas, especialmente quando os dois presidentes disseram repetidas vezes que querem um novo nível de relacionamento entre EUA e Rússia, com base no respeito mútuo, confiança e igualdade''.

Apesar das diferenças, o chanceler russo garantiu que a assinatura do tratado está próxima.

O novo acordo deve substituir o Start (Tratado para redução de armas estratégicas, na sigla em inglês), de 1991, que expirou dia 5.

Obama e Medvedev concordaram em julho em reduzir o número de ogivas nucleares para algo entre 1,5 mil e 1,6 mil e o de plataformas de lançamento entre 500 e 1,1 mil. Mesmo assim, o poder nuclear das duas potências seria capaz de destruir o planeta diversas vezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.