Rússia, China e Índia encabeçam lista de locais mais poluídos

Brasil não aparece entre os 30 mais sujos, do ranking elaborado por Blacksmith Institute e da Cruz Verde.

BBC Brasil, BBC

13 de setembro de 2007 | 13h45

Rússia, China e Índia encabeçam a lista dos locais mais poluídos do planeta, de acordo com um levantamento divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Blacksmith, em parceria com a Cruz Verde suíça. Veja também:  The Blacksmith Report (PDF, 1 MB) Os "dez mais sujos" são Chernobyl, Norilsk e Dzerzhinsk, na Rússia; Linfen e Tianjin, na China; Sukinda e Vapi, na Índia; além de Sumgayit, no Azerbaijão, e a única cidade latino-americana entre as dez mais poluídas: La Oroya, no Peru. Segundo os especialistas, a poluição nestes locais afeta cerca de 12 milhões de pessoas e vai desde a radioatividade vazada da usina de Chernobyl até as contaminações deixadas por décadas de mineração com tecnologias ultrapassadas. Neste ano, o Instituto Blacksmith e a Cruz Verde esticaram a lista até os 30 locais mais poluídos. O Brasil não é citado, mas outros países da América do Sul, como os vizinhos argentinos, além do Peru e do Equador, entram no ranking. A metodologia aplicada na lista de 2007 "deu mais ênfase à escala e toxicidade da poluição e ao número de pessoas em risco", de acordo com o relatório. Os especialistas do painel que elaborou o ranking analisaram mais de 400 locais poluídos em todo o mundo. Destes, 70 foram escolhidos para análises mais detalhadas - todos apresentavam riscos graves à população local. Os principais causadores da poluição nos dez mais, segundo os especialistas, são mineração, resquícios da era da Guerra Fria e produção sem legislação. A cidade de Tianjin, na China, entrou neste ano na lista e é uma enorme produtora de chumbo, respondendo por quase metade da produção mundial do metal. O painel de especialistas cita a região de Vapi, na Índia, como um dos piores exemplos de poluição industrial: mais de 50 empresas contaminam o solo e o lençol freático com pesticidas, cromo, mercúrio, chumbo e cádmio. "O nível de mercúrio no lençol freático em Vapi está 96% acima da média recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS)", diz o relatório.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.