Rússia e China planejam cooperar em exploração espacial

A Rússia planeja cooperar com a China em missões com robôs para a Lua, Marte e outros projetos espaciais, informam autoridades. "Passamos de cooperar em elementos e dispositivos tecnológicos para o desenvolvimento de grandes projetos científicos no espaço", disse um vice-chefe da Agência Espacial Federal russa, Yuri Nosenko, em videoconferência transmitida a partir de Pequim, onde ele e outras autoridades russas participam de uma mostra.Ele afirmou que empresas russas assinaram contratos de cooperação espacial na China no valor de dezenas de milhões de dólares. Nosenko afirmou que a Rússia concordou em auxiliar a China num programa de pesquisa lunar, e que a China tomará parte no projeto russo de enviar uma sonda a Fobos, uma das luas de Marte.A China construirá um mini-satélite que será transportado pela sonda russa e lançado no espaço próximo a Marte para realizar pesquisas, disse Georgy Polishchuk, chefe da empresa NPO Lavochkin, que trabalha na missão a Fobos, prevista para 2009. Polishchuk disse que a China gostaria de participar, também, do pouso de uma sonda em Marte.Nikolai Testoyedov, chefe da estatal NPO Reshetnev, que constrói satélites para o sistema Glonass - a versão russa do GPS - disse esperar que a China venha a cooperar nesse esforço. A Rússia vendeu à China a tecnologia na base do programa espacial tripulado chinês. As naves Shenzhou, usadas pela China par pôr astronautas em órbita, lembram bastante as cápsulas Soyuz russas.

Agencia Estado,

09 de novembro de 2006 | 15h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.