Rússia não transferirá tecnologia espacial para a China

A cooperação entre Rússia e China na exploração espacial não envolverá transferência de tecnologia que possa fazer de Pequim um rival de peso numa futura corrida ao espaço, disse o chefe da agência espacial russa.O chefe da agência Espacial Federal, Anatoly Perminov, afirmou que os dois países colaborarão em missões robóticas para a Lua. Acrescentou, porém, que haverá restrições no compartilhamento de tecnologia."Os chineses estão uns 30 anos atrás de nós, mas vêm chegando depressa", disse Perminov, numa entrevista coletiva. "Estão nos alcançando rapidamente".A Rússia vendeu à China a tecnologia que está na base do programa espacial tripulado chinês, que lançou seu primeiro astronauta em 2003, e dois outros em 2005. A nave espacial chinesa Shenzhou lembra bastante a Soyuz russa. A próxima missão tripulada chinesa está prevista para 2007. A China também pretende ter uma estação espacial e pousar um robô na Lua por volta de 2010.Perminov disse que a Rússia cooperará com a China na exploração espacial, mas dentro de um protocolo estrito que não prevê a exportação de tecnologias. Ele acrescentou que alguns cientistas que violaram a proibição foram punidos - numa aparente referência ao físico Valentin Danilov, condenado por espionagem em 2004. Danilov declarou-se inocente, dizendo que a informação que havia fornecido à China não era secreta e já havia sido divulgada em revistas científicas.

Agencia Estado,

26 de dezembro de 2006 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.