Sabesp rebate crítica de entidade sobre abastecimento

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou nesta segunda-feira, 10, por meio de nota, que o sistema integrado de abastecimento da Grande São Paulo é suficiente para atender os 20 milhões de usuários. Em resposta às críticas do consórcio que representa municípios e usuários de água do interior, de onde sai a água do Sistema Cantareira, o órgão disse que investiu desde 2004 mais de R$ 9,2 bilhões para ampliar a oferta de água.

RICARDO BRANDT, Agência Estado

10 Março 2014 | 22h08

"A companhia investe de forma contínua e planejada em ações de fornecimento de água" e cumpre as determinações dos órgãos reguladores do Sistema Cantareira (Agência Nacional de Águas e Departamento de Águas e Energia Elétrica). "A empresa esclarece que está tomando todas as providências para manter a normalidade do abastecimento dos 20 milhões de habitantes na Grande São Paulo."

O principal investimento em andamento, segundo a Sabesp, é a construção do novo sistema produtor de água São Lourenço, uma Parceria Público Privada com investimento de R$ 2,2 bilhões e que vai adicionar 4,7 mil litros de água por segundo, com entrega em 2018. A Sabesp destacou ainda a ampliação do Sistema Alto Tietê, que adicionou mais 10 mil litros de água a cada segundo à produção para abastecer a Grande São Paulo, e de 700 litros por segundo no Sistema Rio Grande.

Em carta divulgada nesta segunda, o Consórcio das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) havia acusado o governo do Estado de São Paulo e a Sabesp de transmitirem "a falsa impressão" de que o problema da falta de água está controlado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.