Safra de trigo 08/09 do Brasil é a 3a maior da história

Com a colheita de trigo do Brasil finalizada, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) revisou para cima a sua estimativa e previu uma produção de 6,03 milhões de toneladas em 2008/09, um dos maiores volumes já colhidos no país, de acordo com dados da própria estatal divulgados nesta quinta-feira. No levantamento de dezembro, a Conab havia previsto uma produção de 5,8 milhões de toneladas. A nova previsão da pesquisa de janeiro indica um aumento da safra de 2 milhões de toneladas na comparação com 2007/08, cuja produção também foi revisada para cima, a 4 milhões de toneladas. "As altas cotações internacionais, os preços aos produtores superiores ao custo de produção e a elevação do preço mínimo de garantia pelo governo motivaram os produtores a investir na cultura", afirmou a Conab em relatório. Com o aumento da previsão, a safra 2008/09 passa a ser a terceira maior já registrada pelo Brasil, um país que costuma importar bem mais da metade de suas necessidades de aproximadamente 10 milhões de toneladas. Dados da Conab indicam que a produção em 08/09 só perde para as registradas em 1986/87 (6,12 milhões de toneladas) e em 2003/04 (6,073 milhões de toneladas). Poucos meses antes da época do plantio da safra 08/09 do Brasil, os preços internacionais registraram recordes históricos, com a bolsa de Chicago (referência internacional) marcando um pico acima de 13 dólares por bushel em fevereiro do ano passado. Isso também interferiu no mercado interno naquela época e incentivou produtores a semear trigo. Ao mesmo tempo, o governo intensificou o apoio ao trigo. Desde julho de 2008, mais de 740 milhões de reais governamentais foram destinados para operações de apoio à comercialização. MENOS IMPORTAÇÕES Com uma safra perto do recorde histórico, o Brasil importará menos em 08/09, cerca de 5,3 milhões de toneladas, contra 6,8 milhões de toneladas no período anterior, segundo a Conab. Assim o país conseguirá amenizar uma situação de menor oferta no seu principal fornecedor externo, a Argentina, onde a área plantada foi reduzida e as lavouras também foram afetadas por uma seca. Segundo dados oficiais argentinos, a safra do país vizinho cairá de 16 milhões de toneladas na temporada passada para 9 milhões de toneladas em 08/09. O saldo exportável total da Argentina deve cair consideravelmente em 08/09, para algo em torno de 5 milhões de toneladas, segundo o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA), ante 10,5 milhões em 07/08. Fontes do mercado brasileiro afirmaram que os argentinos já comprometeram 2,7 milhões de toneladas para vendas em 08/09. O volume a ser destinado ao Brasil não foi divulgado pelo governo da Argentina. Apesar da previsão do USDA, fontes do mercado avaliam que o total exportado pela Argentina em 08/09 ficará em torno de no máximo 3 milhões de toneladas. Isso indica que o Brasil provavelmente terá de recorrer, para completar suas necessidades, a compras fora do Mercosul neste ano novamente, como aconteceu em 2008, quando o governo brasileiro isentou as compras do cereal norte-americano e canadense. No ano passado o Brasil comprou cerca de 900 mil toneladas de trigo nos EUA e quase 300 mil toneladas do Canadá, tendo a Argentina fornecido aproximadamente 4 milhões de toneladas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.