SAIBA MAIS-Cenário das eleições nas principais capitais

Os eleitores escolherão no próximo domingo os prefeitos em todas as cidades do país, numa disputa que, segundo analistas, pode fornecer indicativos para as corridas presidencial e para os governos estaduais daqui a dois anos.

Reuters

06 de outubro de 2012 | 09h34

Veja abaixo os principais candidatos a prefeito nas capitais mais importantes do país e como está o cenário eleitoral nessas cidades.

SÃO PAULO

- Celso Russomanno (PRB)

- José Serra (PSDB)

- Fernando Haddad (PT)

- Gabriel Chalita (PMDB)

No maior colégio eleitoral do país, a disputa entre os três primeiros colocados está acirrada e, segundo as pesquisas mais recentes, não é possível determinar quem irá para o segundo turno.

Russomanno, que chegou a liderar com intenção de voto na casa de 35 por cento, vem perdendo espaço nos últimos levantamentos e já aparece em empate técnico com Serra na liderança.

Candidato patrocinado pelo ex-presidente Lula, Haddad segue na briga por uma vaga no segundo turno e Chalita, que tem crescido nas últimas pesquisas, corre por fora com menos chances.

BELO HORIZONTE

- Marcio Lacerda (PSB)

- Patrus Ananias (PT)

Na capital mineira, a disputa pode se resolver já no domingo com a reeleição de Lacerda, candidato apoiado pelo ex-governador e senador Aécio Neves (PSDB), apontado como principal nome da oposição para a eleição presidencial de 2014.

No entanto, Patrus, que conta com o apoio de Lula e da presidente Dilma Rousseff, que chegou a ir à capital mineira às vésperas da eleição para participar de comício do petista, tem subido nas últimas pesquisas e pode forçar uma nova rodada de votação.

RIO DE JANEIRO

- Eduardo Paes (PMDB)

- Marcelo Freixo (PSOL)

Paes deve ter uma reeleição tranquila já no primeiro turno, beneficiado por uma ampla coligação de 20 partidos --que lhe deu mais da metade do tempo de TV-- e pela boa aprovação de seu governo junto ao eleitorado.

Candidato pelo pequeno PSOL, Freixo, no entanto, deve ter votação próxima da casa dos 20 por cento, o que analistas consideram um capital político importante para o deputado estadual alçar voos mais altos no futuro.

RECIFE

- Geraldo Julio (PSB)

- Daniel Coelho (PSDB)

- Humberto Costa (PT)

Apoiado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), Julio saiu de apenas um dígito nas intenções de voto no início da disputa e agora lidera, com chances de encerrar a disputa ainda no primeiro turno.

Coelho, que começou a disputa como azarão, foi crescendo ao longo da campanha e desbancou Humberto Costa, que começou na liderança e agora não deve sequer ir ao segundo turno na cidade, comandada pelo PT há 12 anos.

Segundo analistas, prejudicaram o petista a má avaliação do atual prefeito, João da Costa, e o racha interno dentro da legenda, que acabou levando à ruptura da aliança PT-PSB na cidade.

SALVADOR

- Nelson Pelegrino (PT)

- ACM Neto (DEM)

- Mário Kertész (PMDB)

ACM Neto liderava as pesquisas no início da disputa, mas tem perdido terreno e agora está atrás do candidato do PT.

A disputa, no entanto, deve ir para o segundo turno entre Pelegrino, apoiado por Lula e pelo governador Jaques Wagner (PT) e ACM Neto, herdeiro político do chamado Carlismo, protagonizado por seu avô, o falecido senador Antonio Carlos Magalhães, que dominou a política na Bahia por décadas.

PORTO ALEGRE

- José Fortunati (PDT)

- Manuela D'Ávila (PCdoB)

- Adão Vilaverde (PT)

Fortunati deve ser reeleito com facilidade no primeiro turno para comandar a capital gaúcha. Ele chegou a travar uma disputa acirrada com Manuela durante a campanha, mas as últimas pesquisas têm apontado ampla vantagem para o atual prefeito.

O PT decidiu lançar Vilaverde após a realização de prévias dentro do partido, contra duas siglas aliadas tanto do governo Dilma quanto do governador Tarso Genro (PT). A candidatura petista, no entanto, não decolou.

FORTALEZA

- Roberto Claudio (PSB)

- Elmano de Freitas (PT)

- Moroni Torgan (DEM)

Em mais uma cidade em que PT e PSB romperam aliança, o candidato do governador Cid Gomes (PSB), Claudio, e o da prefeita Luizianne Lins (PT), Elmano, disputam cabeça-a-cabeça a liderança e devem ir para o segundo turno.

Moroni, que chegou a liderar as pesquisas no início da campanha, perdeu fôlego e não deve conseguir fazer frente aos adversários, ficando fora da disputa do segundo turno.

(Por Eduardo Simões)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICAELEICOESPRINCIPAISSAIBAMAIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.