SAIBA MAIS-Conheça a trajetória de Chávez

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, morreu na terça-feira em seu país, após quase dois anos lutando contra um câncer na região pélvica, e do qual nunca foram conhecidos detalhes.

Reuters

05 de março de 2013 | 20h04

A seguir, os fatos mais relevantes na biografia de Chávez:

- Nascido a 28 de julho de 1954, em uma família pobre das planícies venezuelanas, Chávez sonhava em ser pintor ou jogador de beisebol profissional nos Estados Unidos.

- Sua infância rural e pobre, mas feliz, costumava alimentar as histórias que ele contava para falar de política. Somando-se a um carisma formidável, suas raízes humildes o ajudaram a forjar uma forte conexão emocional com muitos pobres na Venezuela, que o viam quase como um membro da família.

- Entrou para as Forças Armadas e passou boa parte da sua carreira militar conspirando com outros soldados de esquerda para derrubar o poder político tradicional. Deixou o Exército com a patente de tenente-coronel paraquedista.

- Sua carreira política começou em 1992, quando encabeçou um frustrado golpe de Estado contra o então presidente Carlos Andrés Pérez. O curto discurso em que pronunciou antes de ser preso - usando a sua famosa boina vermelha - motivou muitos venezuelanos e o empurrou à Presidência como um líder populista.

- Após ser indultado, Chávez percorreu a Venezuela em campanha para as eleições de 1998, assumindo o mandato no começo de 1999. Para muitos eleitores, isso simbolizou um recomeço após décadas de governos que pouca atenção dedicaram às necessidades do povo, e que eram amplamente vistos como corruptos e autocomplacentes.

- Meios de comunicação privados e líderes empresariais se opuseram fortemente ao seu governo por promover leis que afetaram todos os setores do país. Em 2002, um grupo de políticos e soldados dissidentes realizou um golpe de Estado. O presidente foi levado de avião para uma base militar numa ilha do Caribe.

- Dois dias depois, militares leais o devolveram ao poder, entre manifestações de seus partidários. O drama do retorno do presidente adquiriu matizes quase religiosos para alguns chavistas apaixonados.

- Chávez acusou o governo dos EUA, que ele sempre criticava como um império decadente e beligerante, de armar o golpe de Estado, e disse que temeu ser assassinado.

- O presidente sempre teve amplo apoio entre os pobres do seu país, em parte graças aos enormes gastos públicos para ampliar programas de saúde e educação, financiados por recursos petrolíferos.

- Em várias ocasiões, ele ameaçou interromper o envio de petróleo para os Estados Unidos - inclusive quando acusou o então presidente George W. Bush de respaldar o golpe de 2002. A ameaça, no entanto, nunca se concretizou. Os EUA continuam sendo o maior mercado para as exportações petrolíferas venezuelanas, embora Chávez também tenha aumentado a venda do produto para a China e para países que têm governos inimigos dos EUA, como Belarus, Irã e Síria.

- Inspirado em seu amigo e mentor Fidel Castro, líder da Revolução Cubana, Chávez levou a Venezuela por um caminho cada vez mais radical, nacionalizando boa parte da economia e administrando o governo com um estilo visto por muitos como autoritário.

- Seus opositores o acusam de ter reprimido os críticos, dilapidado os rendimentos petrolíferos e afugentado investidores ao expropriar ativos - desde lojas e sítios até projetos multimilionários de refinarias administrados por empresas estrangeiras de energia.

- Chávez tinha um estilo deliberadamente populista, usava uma linguagem energética e pitoresca, que se alimentava da cultura machista com a qual ele conviveu na juventude rural e nos quartéis. Como Fidel Castro, ficou conhecido por seus longos discursos transmitidos pela TV, que iam até tarde da noite. Chegou a falar nove horas e meia seguidas.

- O presidente venezuelano anunciou em meados de 2011 que estava sendo tratado por um câncer. Foi submetido a quatro operações em Cuba, onde lhe extirparam dois tumores malignos, mas se declarou completamente curado em julho de 2012, logo antes da etapa final da sua campanha eleitoral.

- Apenas dois meses depois de ganhar as eleições presidenciais de outubro, voltou a anunciar uma recaída do câncer, e em 11 de dezembro se submeteu a uma nova intervenção cirúrgica em Havana. Antes de viajar à ilha, designou o vice-presidente Nicolás Maduro como seu potencial sucessor caso algo lhe ocorresse.

- Quase três meses depois da cirurgia, Chávez morreu, após uma nova infecção respiratória, qualificada pelo governo como "severa", e em meio a um difícil pós-operatório, no qual foi visto pelos venezuelanos em apenas algumas fotos.

(Reportagem de Daniel Wallis e Andrew Cawthorne)

Tudo o que sabemos sobre:
VEENZUELACHAVEZFATOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.