SAIBA MAIS-Democratas terão longo controle do Congresso dos EUA?

Se, conforme o previsto, os democratas tiverem um bom desempenho nas eleições legislativas de terça-feira nos Estados Unidos, pode ser que o partido esteja a caminho de formar uma base majoritária de longo prazo na Câmara dos Representantes (deputados) e no Senado do país. A história ensina não ser raro que um partido domine uma ou as duas casas do Congresso norte-americano por grandes períodos de tempo. Veja abaixo alguns exemplos: * Os democratas controlaram durante quatro décadas a Câmara dos Representantes, de 1955 (na Presidência Dwight Eisenhower) ao início de 1995 (na metade dos dois mandatos do presidente Bill Clinton). Questões fiscais e éticas ajudaram os republicanos a interromper o reinado democrata. Os democratas tiveram um desempenho quase tão bom no Senado no mesmo período, tendo ficado no comando da câmara alta do Congresso por 34 anos. * Os republicanos depois ficaram 12 anos à frente da Câmara dos Representantes, de 1995 até 2006, quando foram tirados do poder em meio a questões, novamente, fiscais e éticas, além da guerra no Iraque. * Os republicanos controlaram a Câmara dos Deputados de 1895 a 1911 e de 1919 a 1931. No entanto, com o aprofundamento da Depressão, os eleitores colocaram os democratas no comando de 1933 a 1945, muitas vezes com amplas margens de voto. Os democratas também foram maioria no Senado de 1933 a 1947, formando sua maior bancada entre 1937 e 1939 (tendo eleito 75 dos cem senadores). * Os titulares dos cargos conseguem reeleger-se com frequência. Um motivo pelo qual os partidos políticos conseguem manter suas vagas no Congresso por tanto tempo é que os deputados e senadores costumam ter mais dinheiro que seus adversários para fazer campanha. Além disso, costumam ser mais conhecidos do público em geral e ter a seu dispor regalias do cargo, tais como verba do governo para enviar um grande número de correspondências a seus eleitores em potencial. * Ondas de choque. Quando um partido deixa de ser bem visto pelos eleitores, uma postura de "fora com todos eles" pode tomar conta do país. A revolução republicana de 1994 deu-lhes 54 cadeiras a mais na Câmara dos Representantes no ano seguinte. * Na era posterior à Guerra Civil, os republicanos conquistaram surpreendentes 64 cadeiras na Câmara dos Representantes em 1873. O bom desempenho deles ocorreu quando a casa, refletindo o crescimento do país, aumentou seu número de membros de 243 para 293. * De outro lado, o predomínio de uma legenda pode durar pouco. Os democratas deveriam ter em mente as várias vezes em que o controle mudou de um partido para o outro decorrido um breve período de tempo. Os republicanos assumiram o controle da Câmara dos Representantes em 1881, 1947 e 1953, por exemplo, apenas para perdê-lo dois anos depois. Os senadores democratas tiverem o mesmo destino em 1893. Em 2001-2003, os dois partidos ficaram empatados no Senado (50 cadeiras para cada um), período no qual os líderes deles tiverem de selar acordos de compartilhamento de poder. Mas o vice-presidente do país, Dick Cheney (republicano), na qualidade de presidente do Senado, tinha a prerrogativa de desempatar as votações. (Reportagem de Richard Cowan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.