Saída para Irã é 'diplomática', dizem Bush e Merkel

Líderes de EUA e Alemanha querem negociar crise nuclear, mas ainda ameaçam sanções.

BBC Brasil, BBC

10 de novembro de 2007 | 20h20

O presidente americano, George W. Bush, e a chanceler alemã, Angela Merkel, disseram neste sábado que concordam com uma saída "diplomática" para o impasse nuclear envolvendo o Irã.Entretanto, ressaltaram que uma nova rodada de sanções poderia ser imposta se o país não abandonar seu programa de enriquecimento de urânio.Após uma reunião com a chanceler alemã em seu rancho em Crawford, no Texas, o presidente Bush disse que Estados Unidos e Alemanha estão de acordo em "resolver este assunto importante de maneira diplomática".Em seguida, Bush explicou seu ponto de vista: "É provável que consigamos isto na medida em que os Estados Unidos, a Alemanha e outras nações colaborarem para enviar uma mensagem firme e comum aos iranianos, que é: o mundo livre não acha que vocês devem possuir a capacidade de fabricar armas nucleares".E acrescentou: "isto significa que eles (os iranianos) permanecerão isolados".As declarações foram feitas em meio a negociações entre o Irã e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), e depois de meses de retórica inflamada que já suscitou temores de um enfrentamento entre Teerã e os países ocidentais.Um relatório da AIEA a ser publicado em meados deste mês deverá atestar se o país realizou ou não concessões em relação ao seu programa nuclear, que Washington acusa de ter finalidade militar. O Irã nega, e diz que suas instalações nucleares têm finalidade civil.A chanceler Angela Merkel afirmou que, dependendo das conclusões do relatório, uma terceira rodada de sanções da ONU contra Teerã poderia ser adotada.Ela acrescentou que a Alemanha pode "examinar mais de perto os atuais laços comerciais" entre os dois países, e "trabalhar junto com a comunidade empresarial" alemã para reduzir o envolvimento bilateral.Mas o repórter da BBC em Washington Adam Brookes disse que a Alemanha ainda está relutante em impor ao Irã sanções econômicas rigorosas, como as que os Estados Unidos colocaram no fim do mês passado contra bancos iranianos.No início deste mês, a Alemanha e os países do Conselho de Segurança da ONU - EUA, Rússia, China, França e Grã-Bretanha - concordaram em elaborar uma resolução que pode ampliar sanções em vigor desde dezembro de 2006 e março deste ano, caso o parecer da AIEA sobre o Irã seja negativo.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.