Sala das múmias do Museu Egípcio do Cairo é reaberta ao público

O ministro da Cultura egípcio, Farouk Hosni, reabriu neste domingo ao público a segunda sala de múmias faraônicas do Museu Egípcio do Cairo, após dois anos de trabalhos de restauração.A sala contém onze múmias de reis e rainhas das dinastias XVII, XVIII, XIX, XX e XXI, que governaram o Egito entre 1650 e 945 a.C., explicou Hosni em entrevista coletiva concedida no museu. "O novo salão, que conta com os mais modernos sistemas de exibição de peças arqueológicas, foi projetado com um céu abobadado, como as tumbas faraônicas do Vale dos Reis de Luxor, ao sul da capital", ressaltou o ministro.O secretário-geral do Conselho Supremo de Antiguidades, o egiptólogo Zahi Hawas, afirmou que todas as múmias foram submetidas a uma rigorosa restauração que incluiu um tratamento contra a umidade para impedir o desenvolvimento de bactérias. Hawas disse que entre as múmias se destacam as dos faraós Ramsés III e Ramsés IV, pertencentes à dinastia XX, que governou o país entre 1190 e 1070 a.C.Essas onze múmias, junto às exibidas na primeira sala, que foi aberta ao público há dez anos, foram descobertas entre 1881 e 1898 nas margens do rio Nilo, em Luxor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.