Santorum vence no Sul e se firma como líder conservador nos EUA

O pré-candidato republicano Rick Santorum venceu na terça-feira duas importantes eleições primárias no Sul dos Estados Unidos -Mississippi e Alabama-, impondo um duro golpe ao seu rival Newt Gingrich, cuja pré-candidatura agora fica por um fio.

JOHN WHITESIDES E DEBORAH CHARLES, REUTERS

14 Março 2012 | 09h07

"Conseguimos de novo", disse Santorum a simpatizantes num comício de vitória em Lafayette, na Louisiana, o próximo Estado sulista a fazer eleição primária, em 24 de março.

"Vamos competir em todos os lugares", disse o conservador Santorum, ex-senador da Pensilvânia. "Agora é a hora de os conservadores se unirem. Se nomearmos um conservador vamos derrotar Barack Obama."

Mas o pré-candidato Mitt Romney, um moderado, ainda é o favorito em âmbito nacional para receber a indicação do Partido Republicano para enfrentar o democrata Barack Obama na eleição geral de novembro. Romney venceu o caucus (assembleia eleitoral) do Havaí e de Samoa Americana.

Mas as disputas mais importantes da terça-feira eram no "Sul profundo" do país, um reduto republicano nas eleições gerais. Por isso as primárias de Mississippi e Alabama foram cenários de um duelo entre Santorum e Gingrich pela supremacia conservadora.

A pressão sobre Gingrich para que ele desista e apoie Santorum deve agora aumentar, mas ele reiterou sua promessa de levar a campanha até o dia da convenção partidária.

Nos dois Estados sulistas, as pesquisas indicavam empate técnico entre os três pré-candidatos. Com quase todos os votos apurados, os resultados do Mississippi indicavam Santorum com 33 por cento, Gingrich com 31 e Romney com 30. No Alabama, Santorum tinha 35 por cento; Gingrich estava ligeiramente à frente de Romney, mas ambos somavam 29 por cento.

Como a distribuição de delegados nesses Estados é proporcional à votação, Romney manteve sua ampla vantagem no total acumulado até agora, mas os resultados foram ruins para o ex-governador de Massachusetts, que não consegue provar sua capacidade de aglutinar o núcleo conservador do partido.

Os resultados de terça-feira indicam que a acirrada disputa pré-eleitoral republicana deve continuar até abril ou além, e sugere a possibilidade de que nenhum candidato obtenha o "número mágico" de 1.144 delegados na convenção de junho.

O quarto pré-candidato republicano, Ron Paul, praticamente não fez campanha no Alabama e Mississippi, preferindo priorizar Estados que votarão mais adiante.

(Reportagem adicional de Steve Holland, no Missouri; e de Alina Selyukh e Lily Kuo, em Washington)

Mais conteúdo sobre:
EUAELEICOESSANTORUMVENCE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.