Santos acerta o pé e goleia Barueri

Time faz 5 a 0 na Vila Belmiro com grande atuação de Neymar

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

28 de janeiro de 2010 | 00h00

Os "olés" que os santistas começaram a gritar no finalzinho do segundo tempo poderiam ter começado ainda no primeiro. Não seria exagero. O Barueri não viu a cor da bola, ontem, na Vila Belmiro. O Santos deu um baile, em noite inspirada de Neymar. A goleada por 5 a 0 poderia ter sido ainda maior não fossem os inúmeros lances desperdiçados na etapa final.

Dorival Júnior teve a prova de que suas convicções estão corretas. Apesar de ter conquistado ontem apenas sua segunda vitória em quatro jogos, o Santos vinha jogando bem. Ele manteve o sistema de jogo. Sofreu com os mesmos problemas dos duelos passados - o principal deles é que o time não mostra bom aproveitamento nos lances ofensivos.

Mas, a partir do momento em que Neymar decidiu municiar os companheiros em vez de resolver a maioria dos ataques sozinho, a goleada se desenhou.

Os alvinegros foram só ofensividade. O esquema tático favoreceu - Marquinhos entrou no lugar de Roberto Brum, machucado - e quem sofreu foi o goleiro Márcio. No primeiro tempo, quase um treino de ataque contra defesa (o Barueri chegou à meta de Felipe apenas três vezes; a primeira, aos 16 minutos).

Belos dribles e boas tabelas eram perdidas em finalizações imperfeitas. Mas, de tanto tentar, o gol chegou. Aos 33 minutos, Léo fez fila no lado esquerdo do campo. Chutou na trave e, no rebote, André completou.

Experiente, o lateral pediu que, no segundo tempo, o time aproveitasse melhor as chances. "Temos que fazer pelo menos 50% do que criamos. Falta um pouco de concentração."

Léo tinha razão. O Santos bem que poderia ter ido para o vestiário com vantagem de quatro ou cinco gols, tal a quantidade de chances desperdiçadas.

O lateral foi atendido. E, concentradíssimo, o Santos deu show na etapa final. Wesley ampliou aos 24 minutos, após receber passe de Neymar. Zé Eduardo, que tinha acabado de entrar, fez 3 a 0 aos 28, concluindo outra assistência do garoto camisa 7.

Neymar, que infernizou o adversário e por isso foi marcado com dureza e às vezes violência, guardou o seu aos 33 - no corta-luz, deixou o lateral Éder sentado. Ele ainda marcaria o quinto e último gol do jogo, cobrando pênalti, aos 42.

SANTOS5 BARUERI0

Gols: André aos 33 do 1.º tempo, Wesley aos 24, Zé Eduardo aos 28 e Neymar aos 33 e 42 (pênalti) do 2.º tempo.

Santos: Felipe; Pará, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Rodrigo Mancha, Wesley, Paulo Henrique Ganso (Alan Patrick) e Marquinhos (Breitner); Neymar e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Júnior.

Barueri: Márcio; Éder, Daniel Marques, Diego e Jefferson; Anderson (João Vítor), Marcos Assunção, Marcelo Oliveira e Carlos Eduardo (Ji Paraná); Flavinho (Marcelinho) e Tadeu. Técnico: Vinícius Eutrópio.

Juiz: Rodrigo Guarizo do Amaral.

Cartão amarelo: Éder, Bruno Rodrigo, Diego, Rodrigo Mancha, Neymar, Marcelinho e Daniel Marques.

Cartão vermelho: Diego e Marcelinho.

Renda: R$ 116.280,00.

Público: 5.294 pagantes.

Local: Vila Belmiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.